Volta azulzinho!

BRASIL_protestos 2013_

Por Aline Fernandes

Desde outubro de 2013, moradores da Vila Gomes, em São Paulo/SP,  estão mobilizados pelo retorno da linha 577T/10 – Jd. Miriam/Vila Gomes. A partir de 26/10, o 577T parte do metrô Ana Rosa em direção ao Jd. Miriam. Para a população da zona oeste, a opção oferecida foi a linha 8018/10 Vila Sônia/Vila Gomes, que definitivamente não atende a demanda da região.

Foram organizados dois abaixo-assinados: o primeiro foi entregue ainda em outubro para a Subprefeitura Butantã, com cerca de 2 mil assinaturas. O segundo, encaminhado em janeiro para o Ministério Público, contou com quase 4 mil assinaturas. Também foi convocada uma audiência pública para o debate do problema, ocorrida em 27/01, que contou com mais de 150 moradores. Além destas ações, foram realizadas várias reuniões na Praça Elis Regina para decidir os rumos do movimento e dois atos pela Volta da linha 577T.

A redução do 577T teve muitas consequências negativas, tais como:

– Ausência de uma linha no Butantã que percorra o “Circuito dos Hospitais”. Entre a Vl. Gomes e o metrô Santa Cruz, existem pelo menos 15 unidades hospitalares. Em um setor censitário que possui a segunda maior concentração de idosos em toda a cidade de São Paulo, esta é uma situação gravíssima;

– Fim de uma das melhores opções para fazer o trajeto entre Butantã e Av. Paulista, Vl. Mariana e proximidades;

– Lotação ainda maior de linhas como 715M/10 Lgo. da Pólvora, 8705/10 Anhangabaú e 8707/10 Term. Princesa Isabel, com viagens ainda mais demoradas. Quem sai ganhando nesta situação? Os empresários de ônibus, que ainda ganham por catraca girada;

– Lotação da linha 4-Amarela do metrô, que já está saturada. Para completar o pacote, viagens ainda mais caras para a população (-R$ 0,20 + R$ 1,65 = prejuízo para você!).

Nessa semana recebemos a notícia de que a partir do dia 24/02, uma nova linha de ônibus irá atender a região do Butantã. A notícia poderia ser muito boa, mas não é. O 8018/21, a nova linha de ônibus em questão, fará o trajeto entre a Vila Gomes e o metrô Butantã nos horários de pico (das 5h às 9h e das 16h às 20h). Mais uma vez, os usuários do transporte público não foram ouvidos. Mais uma vez os mesmos erros foram cometidos.

O 8018/21 nunca foi necessário. A criação desta linha é ainda mais ofensiva que a circulação do 8018/10 Vila Gomes – Vila Sônia. A proposta de criação deste itinerário foi feita na concentração para a primeira manifestação pelo retorno da linha 577T/10 Jardim Miriam – Vila Gomes e causou indignação nos manifestantes. Definitivamente, a reivindicação do Movimento Volta Jd. Miriam/ Vl. Gomes não é essa.

Reorganização e fim da sobreposição de linhas
Essas foram as principais justificativas da Prefeitura para os cortes de linha em São Paulo. No papel, é tudo perfeito: cortam-se as linhas que fazem a ligação centro-bairro, levam-se os usuários para o metrô e todos ficam satisfeitos. A realidade é outra: os ônibus vindos de outros bairros ficam mais lotados, o metrô, ainda mais saturado, o tempo de viagem aumenta e todos ficam estressados. Só quem passa por isso todos os dias sabe o tamanho dos sofrimentos e dificuldades. Para finalizar, uma contradição: se o objetivo é acabar com as sobreposições, a criação do 8018/21 já começou errada.

Nós não vamos parar enquanto não formos ouvidos! Não vamos parar enquanto o azulzinho* não voltar!
Venham participar da nossa luta que reivindica um transporte público de qualidade para toda a cidade!

Dia 20/02 – Atividade do MPL – Debate aberto sobre os Cortes de Linhas com o secretário de transportes. 18h em frente à Prefeitura de São Paulo.

3º ato: 27/02, às 17h – Concentração em frente ao metrô Butantã!

Para saber mais acesse: https://www.facebook.com/linha577T
* Referência à cor dos ônibus da linha 577T/10 – Jd. Miriam/Vila Gomes

Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *