VII Conferência estadual dos direitos da criança e do adolescente – RJ

Deu início na tarde do dia 18 de abril, às 12 horas, no Auditório do BNDES, Centro do Rio de Janeiro, a abertura da 8ª Conferência Estadual da Criança e do Adolescente, organizada pelo CEDCA (Conselho Estadual de Defesa da Criança e do Adolescente), que contava com a presença de autoridades, delegados das regiões e seus conselheiros e participantes ouvintes. A conferência acontece entre os dias 19 e 20 de Abril no município de Búzios.

Para o início da mesa de abertura, estava o adolescente Fabrício Rodrigues,representante da região sudeste, Mirian Silva, representando o CONANDA, Marta Rocha, Chefe de Polícia Civil, Roberto Dinamite, representando a ALERG, Rodrigo Neves, Secretário Estadual de Assistência Social e Direitos Humanos, que também representava o Governador Sérgio Cabral, e a Secretária Nadine Borges, representando a Ministra da Secretaria dos Direitos Humanos Maria do Rosário.

Na pauta do dia, a posse da presidência do CEDCA, que agora passa a ser presidida por José Pinto Monteiro e a vice-presidente Regina Cavalcanti. Em entrevista ao grupo de Educomunicadores RJ, a secretária Nadine Borges disse que a importância da conferência consiste em que qualquer política pública só pode ser pensada, se a sociedade for escutada, ou seja, o que é relatado na conferência deve ser escutado pelo governo, se quiser de fato implementar a política pública no Brasil. A ministra ainda salienta que a ideia da 9ᵃ Conferência Nacional é pensar em ações práticas para que o plano decenal seja tirado do papel com ações concretas, obtidas das já existentes redes do Brasil, como a de assistência social, de saúde e educação . Organizar essas ações para que seja feita a implementação de políticas publicas para crianças e adolescentes.

A conferência estadual do Rio de Janeiro está dividida em 5 eixos: 1- promoção dos direitos da criança e do adolescente; 2- proteção e defesa dos direitos; 3- controle social; 4- gestão de direitos para crianças e adolescentes e 5- protagonismo e participação de crianças e adolescentes, que é uma das mais importantes. Acreditamos que existe uma exclusão muito grande de crianças e adolescentes na sociedade, e essa é a oportunidade de crianças e adolescentes estarem participando das montagens de leis e acompanhando a efetivação delas.

Reportagem feita pelos adolescentes João Vitor Linhares e Juliana do grupo educomunicaçao.

Saiba mais sobre a 9 Conferência Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente

Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *