Um cineasta alemão que não esquece de suas origens

Em entrevista coletiva, Werner Herzog fala sobre seus filmes produzidos e em andamento

Por Sâmia Pereira e Eric Silva

Respeito. Esta é a característica mais marcante nas obras do cineasta alemão Werner Herzog, entrevistado em uma coletiva de imprensa no 3º Congresso Internacional de Jornalismo Cultural, evento que ocorre nos dias 17 a 20 de maio em São Paulo. “Faço meus filmes em diversas partes do mundo e respeito todas as culturas; porém, o filme não perde suas características bávaras. Se produzo um filme em Los Angeles, ele não será dos EUA, e sim da Bavária”, diz.

O cineasta também reforça a importância da identificação do público e de do próprio Herzog com seus filmes, sendo que o imaginário seja priorizado, a fim de que extravase o filme e crie histórias paralelas.

Quando questionado sobre o uso de novas tecnologias em suas produções, em especial a 3D, Herzog afirma que não é uma preocupação, já que prefere utilizar o celulóide (material utilizado na confecção das chamadas películas).

A mostra Sou o que são meus filmes, que acontece no Goethe-Institut São Paulo de 16 a 21 de maio, exibe 20 documentários do cineasta.

Tá na mão:

Confira a programação da exposição de Werner Herzog em São Paulo.

 

Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *