Tribunal Internacional dos Direitos da Natureza

Marina Flevotomas, Greece

A Aliança Global pelos Direitos da Natureza teve o seu terceiro encontro do Tribunal Internacional dos Direitos da Natureza em Paris, França, nos dias 4 e 5 de Dezembro. O Tribunal decorreu em simultâneo com a conferência das Nações Unidas sobre o Clima. Defensores da natureza partilharam os seus testemunhos sobre o que têm vindo a presenciar em relação ao abuso, exploração e destruição dos sistemas na Terra. Entre estes defensores encontravam-se os conhecidos Vandana Shiva, Pablo Solon Maude Barlow e Godwin Ojo, que falaram sobre os combustíveis de fóssil, deflorestação, sistemas e mecanismos de àgua e do clima, inteligente uso da agricultura e da terra, entre muitos outros temas. O painel da mesa de discussão concluiu unanimemente que existem crimes graves contra a natureza e, por isso, desafiaram todos para confrontar as causas e perpetradores, em particular organizações, governos e o capitalismo.

Concluí-se, neste debate, que a mudança do clima é um desafio tranversal. O painel  defendeu que para confrontar os crimes contra a natureza, devemos identificar o problema de raíz relativamente à raça, classe e injustiças que se repercutem por todo o mundo. Demandas tais incluem terminar com crimes tais como desinvestimento dos combustíveis de fóssil, direitos à terra para a população indígena, acabar com privatização da natureza, e assegurar uma continuação de alimentos e proteção de sementes, terminando assim com as extrações destrutivas.

Durantes os intervalos do Tribunal, a delegação e participantes continuaram a discussão sobre o impacto das mudanças do clima nas suas comunidades e vidas. Embora estes testemunhos estejam carregados de mensagens pesadas no seu conteúdo há, no entanto, uma sensação de luta e coletiva e de solidariedade e resistência. Ficou também presente a ideia de que para reverter o caminho da destruição da humanidade, é necessário um esforço coletivo e poderoso. Mudanças radicais no estilo de vida, nos corações e nas mentes das pessoas são as únicas esperanças para acabar com os crimes contra a natureza e a nossa existência. Os defensores e painel do Tribunal lançaram um livro intitulado:  ”Direitos da Natureza”, com compilação de artigos escritos por Earth Law advocates.

 

 

 

 

 

 

Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *