De onde vieram os veganos?

Deixar de comer produtos derivados de animais não é uma moda lançada por famosos e influenciadores da internet. Há 500 A.C,  o veganismo já era pauta entre grandes pensadores como Pitágoras e outras personalidades históricas que tinham o costume de não se alimentarem de animais

Mas é só no século XX, quando alguns vegetarianos discutiam sobre comer derivados de leite e ovos, é que surgiu o conceito do  Veganismo.

Meio século se passou e o estilo de vida tem se tornado hábito de muitas famílias, chamando atenção do mercado de alimentação, trazendo para as prateleiras e cardápios opções que não derivam de animais. Além da alimentação, outros setores como de produtos de beleza e medicamentos têm evitado testes de produtos em animais.

Alessandra Silva é vegana há 8 anos e acredita que o hábito vai além da dieta. “É um modo de pensar e estilo de vida, no qual os adeptos não consomem nada de origem animal como forma de respeitá-los e protegê-los”.

Diferente do que muitos falam, ser vegano não é “comer apenas mato”, o cardápio é amplo, rico em nutrientes e proteínas que podem ser encontrados em legumes, grãos, sementes, frutas, cereais, cogumelos e hortaliças. São infinitas as possibilidades, até pratos de origem animal que costumamos comer no dia a dia, como hambúrguer, lasanha e feijoada, ganharam versões veganas.     Não, você não leu errado. Isso é porque os restaurante e chefes de cozinha têm se adaptado ao paladar do veganismo, criando produtos e pratos populares de alta gastronomia que agradam todos os públicos, inclusive os veganos.

No entanto, apesar do veganismo ser comumente associado a uma alimentação saudável, isso nem sempre é real. O hambúrguer ou a lasanha vegana, por exemplo, podem ser pratos calóricos e altos em colesterol. Por isso, se informar sobre o que se consome é essencial, independente da dieta

O Neurologista Dr. Carlos Reginato, diz que qualquer um pode se tornar vegano, mas por se tratar de um novo hábito é importante consultar bons profissionais:  “Todos podem ser veganos, mas sempre é preciso consultar um médico para avaliar sua saúde e balancear o cardápio”

Outro tabu que existe em torno desse estilo de vida, é que a dieta vegana custa caro.  Na verdade, isso depende do lugar em que você costuma adquirir esses alimentos. Existem feiras orgânicas em que os preços são acessíveis, além de produtos que não são testados em animais, ou que não tem origens animais com o mesmo preço de produtos que utilizam essas técnicas agressivas ao meio ambiente.