“Sem sonho é impossível seguir a luta”, diz o judoca Tiago Camilo em entrevista para a Agência

| Por Jorge Alvarez, da Agência Jovem de Notícias |

“É preciso sonhar!”

Essa foi a mensagem que o Judoca Tiago Camilo, campeão mundial de Judô, deixou para os jovens presentes na oficina de conceitos e técnicas de judô, que aconteceu no dia 20 de agosto durante a inauguração do Sesc 24 de Maio. Ele insistiu: sem sonho é impossível seguir a luta.

Tiago Camili, de 35 anos, é campeão mundial de judô, e conversou com a Agência Jovem de Notícias sobre o direito ao esporte e ao lazer no Brasil. Durante o bate-papo, o Judoca lembrou que o Brasil tem uma das legislações mais avançadas do mundo no que tange o acesso ao esporte e lazer, mas ela não é garantida, assim como o direito à saúde,à educação e à cultura.

Confira a entrevista!

AJN: O que significa Judô para você?

Tiago: Um caminho para vida.

AJN: Qual sua maior conquista?

Tiago: Minha maior conquista como atleta são as medalhas olímpicas, mas minhas maiores conquistas no esporte são as amizades, poder conhecer outros países… acho que isso é uma coisa quer transcende e vou levar para toda a minha vida.

AJN: Qual o desafio de ser uma atleta jovem no Brasil?

Tiago: Os desafios são inúmeros, a gente tem pouca oportunidade, pouca estrutura para poder desenvolver. A gente precisa procurar locais para treinar, academia, clubes, federações, que possam auxiliar. Não só o judô sofre com isso, mas todas as modalidades.

Acredito que esse é o grande desafio. Enquanto atleta, você precisar procurar lugares para se desenvolver, corre atrás, treinar e se dedicar. E fazer como amor, isso é bem importante.

AJN: Você acha que o Brasil tem investido nessa área de esporte e lazer?

Tiago: O Brasil teve grande investimento nos anos que antecederam os jogos olímpicos, mas a gente espera que isso não acabe, queremos que isso continue… A estrutura dos jogos não pode acabar com o término dos jogos, é fundamental ficar um legado para o povo brasileiro, para realmente poderem vivenciar uma cultura esportiva.

AJN: De que maneira você acredita que o esporte contribui para o desenvolvimento do jovem?

Tiago: Temos um desafio por que as pessoas entendem o esporte como gasto, quando se investe em esporte é estar investindo em educação, em saúde, em segurança. Uma pessoa que pratica esporte é uma pessoa mais saudável, inteligente, e se torna uma pessoa melhor na sociedade e ajuda a construir um país. E a sociedade ganha com jovem mais consciente e saudável por estar dentro do esporte.

AJN: Hoje no Brasil os jovens têm assegurado o direito ao esporte e lazer no Estatuto da Juventude e no Estatuto da criança e do adolescente, mas na real o acesso não existe, como podemos mudar isso no Brasil?

Tiago: Esse é um problema profundo no Brasil, a gente vê isso não só no esporte, mas na saúde, na educação, e o pouco que temos não é de qualidade como está na nossa constituição. Claro que isso reflete no esporte também, o Brasil precisa restruturação política e econômica, para poder atender a toda população com dignidade e respeito.

AJN: Como a estrutura do SESC pode contribuir para discussão do direito ao esporte e lazer?

Tiago: Criando espaços como esse de acesso ao esporte e lazer, possibilitando diálogos. O Sesc tem uma contribuição importante para a sociedade, para as pessoas terem acesso à cultura, esporte, lazer, educação… isso mostra um comprometimento com o cidadão brasileiro.

AJN: Qual a mensagem que você deseja deixar para os jovens?

Tiago: É importante ter sonhos, não deixe de sonhar, se afastar desses sonhos. Vivemos em uma sociedade que desiste muito fácil das coisas e há pouco espaço para sonhar. Mas precisamos ficar perto dos nossos sonhos e seguir com carinho e com amor, se dedicar a ele. As coisas só acontecem quando a gente se dedica e acredita.

 

Este texto é resultado da cobertura educomunicativa da inauguração do Sesc 24 de Maio, realizada por adolescentes e jovens do projeto Agência Jovem de Notícias e da Viração Educomunicação, em parceria com o Sesc São Paulo.