Sexualidade é sexo? Ou sexo é sexualidade?

Por equipe do Programa Adolescer, para a Agência Jovem de Notícias

Ilustração por Natália Forcat, colaboradora da Viração

Qual é a primeira palavra que vem a sua cabeça quando o assunto é sexualidade?  Aliás, o que é sexualidade? Porque esse tema ainda é um tabu? Porque temos vergonha? Porque é tão difícil falar com alguém sobre isso?

Muitas dúvidas passam pela cabeça de todas e todos. E para viver a sexualidade de forma saudável e prazerosa, é fundamental buscar informação de qualidade.

A partir de agora, esse novo espaço vai colaborar no esclarecimento destas e de outras dúvidas. O Programa Adolescer será o parceiro da Agência Jovem de Notícias, que toda semana trará um tema diferente sobre sexualidade para ser discutido.

Esse é o pontapé inicial para quebrar ou tentar quebrar tabus. As informações serão trazidas aqui por meio de artigos, leituras, vídeos, entrevistas, depoimentos e a partir das perguntas feitas pelos leitores.

Pra começar, queremos voltar às perguntas do início desta matéria. Afinal, o que é sexualidade?

Segundo Sigmund Freud, pai da psicanálise, “a sexualidade pode ser entendida como uma carga energética que se distribui pelo corpo de maneiras distintas”. Complicado?  Então vamos conhecer outras opiniões. Quando solicitados a definir em vídeo a sexualidade em uma palavra, alunos e profissionais de uma escola portuguesa falaram em afeto, amor, desejo, intimidade, confiança, prazer, sorriso, abraço, carinho, paixão, responsabilidade, partilha, sedução, amizade, respeito, sexo, confiança, ternura, toque, segurança, beijo. Será só isso? Ou tudo isso?

“Apreciar a textura de um sorvete, relaxar numa massagem, desfrutar o beijo da pessoa amada: tudo o que se relaciona ao prazer com o corpo está ligado à sexualidade. Embora pelo senso comum ela se confunda com o erotismo, a genitalidade e as relações sexuais, o fato é que esse campo do desenvolvimento humano pode ser entendido num sentido mais amplo e deve incluir a conscientização sobre o próprio corpo e a forma de se relacionar amorosamente.” Essa foi a definição da jornalista Thais Gurgel em uma das suas reportagens (“O despertar da sexualidade”: http://migre.me/e53fv) para a revista Nova Escola.

Mais uma consideração, essa segundo a Associação Mundial de Sexologia: “A sexualidade é parte integrante da personalidade de cada ser humano. Seu desenvolvimento depende da satisfação de necessidades humanas básicas tais como desejo de contato, intimidade, expressão emocional, prazer, ternura e amor…”.

Sexualidade é um termo bastante abrangente. Difícil de esgotar em uma só definição. Além dessas que vimos acima e de muitas outras facilmente encontradas, é importante olharmos para dentro de nós mesmos, considerando nossos sentimentos, histórias e principalmente nossas vontades. Esse é um dos aspectos mais íntimos do ser humano e por isso, torna-se absolutamente pessoal e se manifesta diferentemente em cada indivíduo.

Como disse acima Thaís Gurgel, é fácil e muito comum pensar na sexualidade somente como sexo ou relação sexual, mas é importante lembrar que um não necessariamente precisa vir acompanhado do outro.

Há algumas opiniões carregadas de preconceito, outras abertas a diferentes formas e olhares, portanto, da mesma forma que é importante a compreensão e aceitação de sua própria sexualidade, também é importante o respeito à expressão da sexualidade das outras pessoas.

Bem, esse tema não se esgota tão facilmente. Na próxima semana vamos continuar a refletir sobre como se define sexualidade. Vamos trocar ideias, refletir e discutir sobre o tema juntos.