Plenária de Moções tem clima de união em Serra Negra

Por Lucas Antônio.

A plenária das moções foi a mais tranquila da Conferência. Nela se ouviram as moções feitas pelos delegados sobre o evento. Muitas dessas moções foram de repúdio e outras de desculpas para Comissão Organizadora sobre o processo da Conferência e o que se deu nela, porém todas elas não obtiveram o mínimo necessário de 30% de assinaturas para serem aprovadas.

A única moção que conseguiu as 70 assinaturas para sua aprovação foi a paridade da escolha de delegados adolescentes e adultos para Conferência Nacional.

Alguns delegados, como a Julia, de 16 anos da região de São João da Boa Vista, criticou como foram feitas as moções. “Teve moção muito a toa” e conclui, “Acredito que deveria ocorrer uma orientação sobre o funcionamento das moções para a plenária”.

Durante a leitura das moções, a delegada Ketlyn, de 17 anos, de Osasco, comenta sobre a plenária: “Esta bem organizado, acho que as pessoas estão se respeitando mais”. Florence, de 17 anos, de Taubaté faz uma reflexão sobre o processo: “As pessoas aqui estão despreparadas para a Conferência, acho que as regiões e as cidades deviam preparar melhor seus delegados para fazer a discussão. Não é uma questão geral, mas promove bastante influência perante o encontro”.

Ao final da plenária das moções, os delegados se dispersaram para eleição de seus representantes para fase nacional da Conferência, considerado por alguns o momento mais importante do evento. No encerramento, os próprios delegados fizeram uma apresentação da paródia “para nossa alegria”.

Saiba mais:

O que é 9ª Conferência Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente?