Medellín – Cidades sustentáveis, um passo para um planeta verde

Sebastian Roa, da Agência Internacional de Notícias

Paris, 07 de dezembro de 2015 – A sustentabilidade das cidades é um dos assuntos mais discutidos nesta COP21, inclusive existe um pavilhão especifico para tratar de ações inovadoras desenvolvidas nos processos de gestão das prefeituras de vários continentes.

Entre elas, uma cidade latino-americana, Medellin, apresentou no pavilhão alguns dos seus projetos que ganharam destaque a nível mundial, pelos processos de mobilidade urbana e construção de planos inovadores que conseguem aliar desenvolvimento com sustentabilidade, duas palavras que cada vez mais cobram espaços em ambientes urbanos, tentando inserir a mobilidade não motorizado como complemento do deslocamento.

Em Medellín, as ciclovias tiveram um impacto positivo a nível local e intermunicipal, pois além de cobrirem a extensão da cidade, ainda interligam outros municípios na região metropolitana. A mobilidade urbana em Medellín é vista como ferramenta de inclusão social, pois é visivelmente uma forma de integrar não só bairros, como também seus cidadãos. “ Medellín tem entendido que a mobilidade não é só   um assunto de se deslocar, a mobilidade é a alma da estruturação de uma cidade para a convivência, para a inclusão, para dar acesso aos cidadãos da cidade” destaca Jorge Perez Jaramillo, diretor do departamento de planejamento da cidade.

“Nosso sistema de transporte tem se convertido em um sistema de reintegração da cidade e agente de transformação da vida e que se converte não só num mero transporte, mas sim uma ferramenta da inclusão” comenta Jaramillo.

A cidade de Medellín possuí várias formas de locomoção entre elas está o metrô, o BRT Metro Plus, teleférico, tranvia, que conseguem fechar a malha viária da cidade e oferece aos seus cidadãos qualidade no transporte. “ A ideia é que permita que o modelo de crescimento interno que se está sempre crescendo, queremos consolidar a rede de transporte para que todos os habitantes consigam usufruir melhor a cidade” afirma.

A cidade enfrentou muitos paradigmas para implantar estes sistemas, pois foi necessário conversar com o comercio, com a cultura do veículo automotor que ainda é uma das principais causas das emissões de gases.

O diretor comenta os próximos passos para tornar Medellín uma cidade mais sustentável. “ Temos uma agenda muito ambiciosa, uma delas é a integração e recuperação ecológica do nosso sistema do rio Medellín, que a partir do saneamento que já dura pelo menos 20 anos a cidade ganhe um novo visual e fomente a renovação urbana nas áreas próximas dele, com isso, montanhas, afluentes e rio façam parte de um sistema ecológico integrado e uma base para uma cidade transformada” explica o diretor de planejamento.