Um país de abandonados

A cada ano, 6% das crianças nascidas no Brasil são registradas sem o nome do pai na certidão Por Vitória Rodrigues de Oliveira –  Segunda, dia 25 de outubro de 2021. Estar naquele lugar me deixava meio apreensiva, porque todo mundo ali andava com pressa e com um olhar de superioridade. Mesmo assim, junto com […]Ler mais

Discurso da virilidade: um conjunto de personagens caóticos

Ser homem, ser mulher, não corresponde a características de uma masculinidade e feminilidade pré-estabelecida. Mas por que atribuímos virilidade ao que é masculino? Por Reynaldo de Azevedo Gosmão – A sociedade patriarcal nos coloca em um engodo de repertórios e narrativas muito empobrecidas, primeiramente por demandar que homens e mulheres respondam de lugares pré-estabelecidos, e […]Ler mais

Somos mais do que as narrativas brancas podem descrever!

Por: Nathália Henrique da Agência Jovem de Notícias/ “foto divulgação filme Dara a primeira vez que fui ao céu” Até quando vamos ver negros e negras em papéis de inferioridades nas novelas ou cinema? O estereótipo de que negro é pobre, sem estudos e sempre carregando marcas cômicas se disseminou ao longo das últimas décadas […]Ler mais