Julho das pretas: celebração da nossa realeza

O julho das pretas não é só sobre colocar cartazes com fotos bonitas de mulheres negras no hall de um shopping chique e falar de Tereza de Benguela nos materiais didáticos das escolas particulares. É também sobre exaltar as mulheres negras reais, e reacender a chama ancestral da nossa memória coletiva e afrocentrada, nossa memória […]Ler mais

Afinal de contas… sou uma mulher?

Como o racismo atua e se manifesta dentro do recorte de gênero. Por Ana Rosa Calado Cyrus, para a Revista Viração, edição 117 – Quando tenta-se conceituar o que é ser uma mulher, na maioria das vezes, nos referimos a padrões que foram estabelecidos pelo sistema hegemônico – branco, patriarcal – e há uma determinada […]Ler mais

Manifestações racistas por meio de violência obstétrica

A violência obstétrica está relacionada ao controle dos corpos, à  não liberdade e autonomia da pessoa que está parindo, Pelo racismo estrutural, esse quadro se agrava ainda mais quando se trata do atendimento a mulheres negras. Por Reynaldo de Azevedo e Lorrany Castro – Inserida na lógica do racismo estrutural, a violência obstétrica no Brasil […]Ler mais