Movimento contra corrupção no Senado atrai jovens em São Luís

Texto: Stephany Pinho e Socorro Costa | Imagem: João Neto, Jader Soares, Lailson Belfort (MA), jovens educomunicadores de São Luis (MA)

No último sábado, 23,  jovens da capital maranhense, mobilizados pelas redes sociais, promoveram manifesto contra Renan Calheiros em adesão ao movimento nacional.

O protesto denominado “Fora Renan!”, em São Luís, realizado dia 23 de fevereiro, contou com a participação de jovens representantes de diversos movimentos que se reuniram por meio da rede social Facebook. O protesto exigia a saída de Renan Calheiros da presidência do Senado.

Segundo Nyelson Weber, mobilizador do evento em São Luís, “O movimento ‘Fora Renan’ na capital foi um sucesso, a manifestação apartidária e pacífica seguiu as diretrizes do evento nacional, cobrando a renúncia do senador Renan Calheiros, que em mandato anterior renunciou para não ser cassado e agora é presidente do Senado com vários indícios de corrupção. Tivemos uma participação significativa em meio às mais de 80 cidades participantes, no Brasil e no exterior, mostrando a indignação do cidadão maranhensecom casos de corrupção no poder público”.

Os manifestantes saíram do Circo da Cidade, na Praia Grande, com cartazes e gritos de protestos e seguiu pela Beira Mar até chegarem à cabeceira da Ponte José Sarney (mais conhecida como Ponte São Francisco), onde criaram uma barreira interrompendo o trânsito por alguns minutos para distribuição de folhetos explicativos sobre a manifestação. Além disso, durante o percurso, os jovens promoveram apitaço, bradaram palavras de ordem e exibiram cartazes, tornando o trânsito lento na região; ainda assim, muitos motoristas demonstraram sinais de apoio ao protesto.

A manifestação seguiu pela Rua do Egito até chegar à Praça Dom Pedro II, onde ocorreram diversos atos simbólicos em frente ao Palácio da Justiça e em frente ao Palácio dos Leões.  Em frente ao Palácio dos Leões (sede do governo do estado) os jovens deitaram-se no chão, simbolizando a morte da ética dos nossos representantes políticos que, com comportamentos corruptos, contribuem para não efetivação das políticas públicas. O protesto seguiu pelas ruas do Centro Histórico da Cidade e encerrou-se na Praça Nauro Machado, com uma grande ciranda que teve a participação das pessoas que transitavam pelo local. Enquanto giravam, cantavam “pisa ligeiro, pisa ligeiro, quem não pode com a formiga não assanha o formigueiro”.

O movimento contra a saída de Renan do Senado é nacional e os protestos ocorreram em outras oito capitais e mais de 50 cidades brasileiras simultaneamente.


 

Entenda o que aconteceu

O senador Renan Calheiros (PMDB-AL) possui uma série de denúncias de corrupção durante o seu mandato como presidente do Senado de 2005 a 2007. Na época, o político foi acusado de desvio de dinheiro público, usado para favorecer empresas pessoais e fazer pagamentos como pensão alimentícia. Diante da pressão pública e da mídia, Renan renunciou ao cargo para que o caso fosse investigado.

Em fevereiro deste ano, o senador voltou a ser candidato e venceu com 56 dos 78 votos dos colegas presentes. O problema é que, no período de cinco anos, nada mais foi apresentado contra Renan, porém, no dia da eleição, o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, apresentou formalmente no Supremo Tribunal Federal a acusação contra o político de peculato, falsidade ideológica e utilização de documento falso. O caso não tem prazo para ser analisado.