5 filmes sobre sexualidade que você tem que assistir

O cinema tem representado cada vez mais a sensibilidade e as particularidades do ser humano nas telas. Antes utilizada como ferramenta de registro para fatores históricos, hoje a cinematografia pauta o cotidiano e entendimentos do ser, a partir da abordagem de temas complexos como sexualidade, raça e classe.

A frase de abertura ou encerramento “Baseado em fatos reais” surgem grafadas em branco com fundo preto, e as cores vibrantes ficam para a realidade e sensação de toque que emerge em nós.

E a arte tem mesmo esse poder de tocar o outro. Não me lembro de ver filmes que pautavam a sexualidade na minha juventude. Na verdade essa questão não foi discutida, nem mesmo fora do cinema. E, quando discutida parecia uma cartinha pronta sem alterações. Um verdadeiro tabu.

Mas hoje, alguns diretores  não pouparam lentes para levantar essa questão. Então aqui vai 5 filmes que mergulham nesse universo:

 

1) Hoje eu quero voltar sozinho (2014)

O premiado filme de Daniel Ribeiro, traz dois tabus a sexualidade e como a pessoa com deficiência lida com isso. No longa, Léo, um garoto com deficiência visual, vai se descobrindo e se apaixona por seu melhor amigo. Sem mais spoilers!

 

2) Vestido de Laerte (2002)

O curta-metragem de Cláudia Priscila e Pedro Marques trata de sexualidade e de um embaralhamento de gêneros no mundo contemporâneo.

 

3) Tatuagem (2013)

Ao iniciar o esgotamento político do golpe militar no Brasil, em 1978, acompanhamos o romance entre um soldado de 18 anos e um agitador cultural, dono de um cabaré anarquista. Esse romance sobrevive a repressão existente em plena ditadura.

 

 

4) Xavier (2015)

Um outro lado da descoberta da sexualidade é a relação com a família. O curta de Ricky Mastro lida com essa temática e a reação dos pais que, diferente do que vemos, é de compreensão e acolhimento.

 

 

5) De gravata e unha vermelha (2015)

Por último, vamos de documentário! A obra de Miriam Chnaiderman, traz entrevistas com diversas personalidades que, em suas histórias de vida, colocaram em perspectiva o modelo de identificação binário homem/mulher, e questionaram os estereótipos construídos para cada um dos sexos. Entre os entrevistados estão o cantor Ney Matogrosso, a cartunista Laerte, a atriz Rogéria e o estilista Johnny Luxo.