Referência para a educomunicação, o espanhol Jesús Martín-Barbero participa virtualmente do lançamento de seu livro na ECA/USP

Livro_Martin_Barbero

Bruno Ferreira, da Redação | Imagem: Gutierrez de Jesus Silva

O auditório Paulo Emílio, da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA/USP) foi cenário, nas palavras do Professor Doutor Ismar de Oliveira Soares, de “um momento histórico” para os estudos da interface comunicação/educação. O lançamento do livro A Comunicação na Educação, na noite desta quarta-feira, 2 de abril, de autoria de Jesús Martín-Barbero, uma das maiores referências na América Latina para os Estudos Culturais, aconteceu em grande estilo, na presença de professores do Departamento de Comunicações e Artes e estudantes da ECA.

O autor, que é uma das principais referências para o estudo da educomunicação, participou do lançamento virtualmente. Por skype, fez uma fala apaixonada e contagiante sobre a inter-relação comunicação/educação, após a exposição dos professores Adilson Odair Citelli e Ismar de Oliveira Soares (ECA/USP) e José Luiz Braga (Unisinos) sobre os principais aspectos de seu novo livro. A mesa de debates foi mediada pela Professora Doutora Maria Immacolata Vassallo de Lopes, tradutora da obra para o português.

Da Colômbia, Barbero falou sobre sua admiração pelo educador Paulo Freire e pelo geógrafo Milton Santos, ambos brasileiros, e prestou homenagem a Jorge Huergo – estudioso argentino da interface comunicação/educação – morto há três meses e afirmou que o Brasil é o país com o qual mantém as melhores relações de troca intelectual com estudiosos da interface comunicação/educação. Emocionado, afirmou que o que escreveu teve grande influência desses autores.

Martín-Barbero fala ainda sobre o filósofo francês Michel Serres, citado em A Comunicação na Educação, que ensina “para que serve a cabeça”. Com base em Serres, Barbero disse que “a cabeça serve para a maravilhosa e incandescente capacidade de inventar, de criar, de inovar. Isso transforma o sentido de toda a educação, não só a educação escolar, mas também a educação profissional, a educação de gestão”.

Após a sua fala, o autor respondeu perguntas da plateia, quando reafirmou a importância da escola na contemporaneidade e a necessidade de repensar o seu modelo. “Sempre pensei em uma sociedade com escola, mas que tipo de escola? Defendo que a escola precisa abrir-se às transformações que estão acontecendo há muito tempo, o que não tem a ver com pensar que podemos prescindir à escola”, afirmou.

No final de sua fala, Martín-Barbero recordou o que aprendeu, aos 16 anos, com um professor: a origem da palavra autoridade. “Autoridade vem de autor, não de autoritário. Primeiro se é autor e autoridade a tem quem é autor. Obrigado e boa noite”, despediu-se.

Jesús Martín-Barbero é espanhol, radicado na Colômbia desde 1963 e dedica-se ao estudo da comunicação no âmbito da cultura. Sua mais recente obra, A Comunicação na Educação, foi publicada no Brasil pela Editora Contexto.