Agência Jovem de Notícias estabelece cinco novos núcleos em SP

foto jaçanã

Bruno Ferreira, da Redação | Imagem: Acervo AJN Sem Fronteiras Digitais

O mês de abril representou um marco na vida de alguns adolescentes que, pela primeira vez, receberam em mãos o certificado de conclusão de um processo educativo. No telecentro do CEU Caminho do Mar, no bairro do Jabaquara, zona sul de São Paulo, a euforia de Maura, Beatriz e Victória ao verem seus nomes no documento foi de brilhar os olhos.  Elas participaram do projeto Agência Jovem de Notícias: Sem Fronteiras Digitais, um ciclo de seis semanas de formação em Comunicação e Direitos Humanos, promovida pela Viração Educomunicação no âmbito do Edital Redes e Ruas, das secretarias, Cultura, Serviços e Direitos Humanos e Cidadania da Prefeitura de São Paulo.

O projeto, no entanto, não aconteceu apenas no Jabaquara. Educomunicadores da Viração estiveram presentes em outras quatro comunidades de São Paulo, com o objetivo de formar adolescentes e jovens comunicadores. Capão Redondo, Jaçanã, Capela do Socorro e São Miguel foram outros bairros que receberam, em telecentros e pontos de cultura, o projeto da Viração entre março e abril. Ao todo, foram 76 meninos e meninas sensibilizados para os direitos humanos e produzindo mídia sobre suas comunidades. Até julho, mais cem adolescentes e jovens participarão do projeto em outras sete comunidades de São Paulo.

“Nossos assuntos são super interessantes. Eu mudei meus pensamentos sobre temas que antes eu pensava de um jeito, agora eu penso de outro. Depois do curso, a gente começa a conversar melhor com as pessoas e muitos argumentos mudam”, diz Maura Santos Garcia, de 14 anos, participante da Agência Jovem no Jabaquara.

A adolescente Luana Silva de Oliveira, de 13 anos, também do Jabaquara, destaca que os temas abordados na formação não são abordados na escola e que o espaço da Agência Jovem de Notícias em seu bairro foi importante para aprender a conviver e a respeitar a diversidade. “Eu tenho a minha opinião e outras pessoas têm as dela, mas aqui a gente está aprendendo a conviver com essas opiniões, porque nem sempre todo mundo vai ter a mesma opinião que eu”, afirma.

Esses depoimentos fazem parte do making of realizado em duas das seis oficinas do Jabaquara, que você pode assistir abaixo:

Produção de mídias

A proposta do projeto é que adolescentes experimentem produzir conteúdos sobre sua comunidade em uma linguagem escolhida pelo grupo. A galera do Jabaquara e do Capão Redondo optou pela fotografia. Os adolescentes e jovens integrantes desses núcleos produziram um ensaio fotográfico sobre os bairros, que será exposto em um festival de encerramento das atividades do projeto, previsto para julho, no Páteo do Colégio (a confirmar), no Centro de São Paulo.

O núcleo da Capela do Socorro produziu um vídeo sobre Racismo e a turma de São Miguel fez três fotonovelas sobre gravidez na adolescência, como a mídia vê o jovem e exposição na internet. Já a galera do Jaçanã produziu lambe-lambes com base nos no entendimento da galera dos artigos do ECA.

20150310_162348

Para Davi dos Santos, de 12 anos, participante da atividade no Jaçanã, mais valioso do que os lambe-lambe produzidos foi o convívio com os colegas e a oportunidade de aprender a trabalhar em grupo: “Na hora de fazer os lambes, a gente precisava de uma imagem e de uma frase. Na frase, a gente conseguiu trabalhar bem. Cada um deu a sua opinião e a gente conseguiu formar uma só palavra. Com todo mundo trabalhando junto desse jeito, a oficina ficou muito legal e interessante”, disse.

Próximos núcleos

Outros sete núcleos começarão suas atividades na primeira semana de maio e vão desenvolver, além dos temas relacionados aos direitos de adolescentes e jovens e direito humano à comunicação, oficinas de produção de vídeo, produção sonora, aplicativos para smarth phone, entre outras linguagens. Os próximos núcleos a serem formados são nos seguintes bairros:

 Zona Sul: Cidade Dutra e Jd. São Joaquim

 Zona Leste: São Mateus

Zona Norte: Tremembé

Centro: Bom Retiro, Sé e Vila Buarque

 Inscreva-se!

Se você faz parte de algum desses bairros, tem de 13 a 29 anos e disponibilidade para participar dos encontros, semanalmente, inscreva-se aqui.