Dia Mundial de Luta contra Aids: O preservativo ainda é o seu melhor parceiro

Por Cristiane Rosa – educadora do Programa Adolescer

ARTIGO – A ideia do Dia Mundial de Luta contra a Aids, em 1º de dezembro, é trazer uma reflexão, reforçando a solidariedade, a tolerância, o respeito pelas pessoas que vivem com HIV/Aids e alertar para uma vida sexual saudável e com prevenções, além do incentivo de conscientizar a todos para essa luta.

Muitos ainda, por falta de informação, acabam evitando e se afastando de pessoas que contraíram o vírus, por isso é preciso entender como se pega HIV/Aids, e assim evitar a doença.

Não é só de prazeres que se vive a sexualidade. Responsabilidades, consciência e prevenção andam lado a lado com esse assunto.

Se você tem menos de 30 anos, faz parte de uma geração que cresceu ouvindo falar que só se deve fazer sexo usando o preservativo. Mas nem sempre foi assim.

Até os anos 80, as doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) não eram faladas com muita importância ou preocupação. Falava-se em grupos de risco isolados, como por exemplo, os homossexuais e as garotas de programa. Mas aí veio o “boom” da Aids, doença que assustou a todos, sem cura, e que tirou a vida de muitos jovens e adultos naquela época. Começaram as campanhas de prevenção e um forte apelo para o uso da camisinha, a única forma capaz de evitar essa e outras doenças, além da gravidez não planejada.

Ao longo dos anos, a camisinha passou a fazer parte da vida sexual de adolescentes, jovens e adultos, as campanhas tomaram força, os coquetéis de medicação para auxiliar no tratamento ao HIV tornaram-se mais acessíveis, e então tudo ficou bem, certo? Errado! O HIV ainda está aí, atingindo silenciosamente muitos que deixam de lado a camisinha. Os grupos de risco não existem mais, e agora mulheres e homens, casados ou não, adolescentes e jovens, e até mesmo os idosos passaram contrair o HIV devido ao descaso com a prevenção.

No site do Ministério da Saúde, no Programa DST-AIDS-Hepatites Virais, você pode encontrar várias informações sobre esta e outras doenças (www.aids.gov.br).

O uso da camisinha, além de ser o único método contraceptivo que previne também das outras DSTs, é fácil e gratuito. Você não precisa nem gastar para estar protegido: basta procurar uma Unidade Básica de Saúde no seu bairro e solicitar o preservativo. Todo adolescente tem direito a isso. Agora, é muito importante saber usar a camisinha, ok? Pode parecer bobagem – “claro que todo mundo sabe usar a camisinha!”- mas não é… Muita gente não sabe abrir, colocar, nem tirar a camisinha, e aí, ela perde a segurança. Sabe aquela história de “a camisinha furou”? Camisinha só fura se for mal colocada, então, corre buscar ajudar pra aprender direito. E a hora de colocar também pode ser um momento de sedução e brincadeira entre você e seu parceiro ou parceira, já pensou nisso?

Vocês já devem ter ouvido a frase: “quem vê cara não vê Aids”. Pois é, não vê Aids, nem sífilis, gonorreia, cancro mole, candidíase, hepatite B, herpes genital…e várias outras doenças. Mas elas podem estar lá, independente de quem seja seu parceiro ou parceira. E cada uma delas tem uma forma de contágio e manifestação – sintoma – específicos. 

Em resumo: não dê bobeira. Informe-se! Essa é a melhor forma de prevenção, e de viver a sexualidade de um jeito tranquilo e protegido. E xô, preconceito!

Saiba mais:

Veja como se pega e não se passa Aids

 

Conheça o Programa Adolescer em www.bemvindo.org.br