Projeto da Brasilândia realiza mostra de intervenções urbanas em São Paulo

performance_mostra

A Mostra Ruas Incarnadas reuniu, no último dia 14 de junho, no bairro da Lapa, capital paulista, os resultados dos processos de criação,  experiências e intervenções urbanas realizadas de 2013 a 2015 por jovens do Projeto Fliperama, moradores da região da Brasilândia em São Paulo.

Alguns desses jovens participam das oficinas na Viração e de ações da Plataforma dos Centros Urbanos, iniciativa do UNICEF em parceria com a Prefeitura de São Paulo e CMDCA. O Tendal da Lapa foi o local onde aconteceu o evento. Nele, rolaram várias intervenções artísticas e performances que deixam os espectadores sem querer piscar os olhos. Cenas, movimentos, sons e vozes carregadas de histórias e de essência.

A mostra foi aberta com o grupo Corpo Cidade na performance “Chão que me pariu”, que trata da questão da ancestralidade, abordando o início do nosso ciclo vital. O Grupo em Crise apresentou macacos que bebiam refrigerante em uma taça. Monstros foram soltos durante as apresentações que se sucediam. Em cada performance todos os atores se envolviam com o público, fazendo do espetáculo uma intervenção fantástica.

Segundo a organização do evento, o desafio proposto em todas as performances, foi criar em conjunto com os jovens, ritos de passagem que oferecem condições para que eles possam se expressar e intervir nos espaços públicos, na paisagem urbana e no território subjetivo. “Trabalhamos para que o corpo se liberte de suas opressões cotidianas, de seus automatismos, de suas carcaças. Partindo de linguagens artísticas – teatro, música, desenho, texto, fotografia, vídeo – inventamos juntos intervenções nos espaços urbanos, como resultado de um processo que nasce do encontro com o outro, com a rua e com a cidade em que vivemos”, afirmam os organizadores da mostra.

Diversifica Periferia

mostra_fotos_fliperama

No contexto da mostra, houve uma exposição fotográfica com o olhar dos jovens sobre a diversidade e o cotidiano dos moradores da Vila Brasilândia. A exposição foi resultado de um grupo de adolescentes e jovens que participaram de um processo de formação e sensibilização sobre direitos juvenis, enfrentamento ao racismo promovidos pela Viração Educomunicação.

Mídias artesanais

jornal_mural_mostra

Em um mural, 10 lambe-lambes foram expostos com indicadores sobre homicídio juvenil, produzidos pelos jovens da Brasilândia no âmbito da Plataforma dos Centros Urbanos, que participaram do ciclo de oficinas da Agência Jovem de Notícias. Foram ainda confeccionados um jornal mural e um fanzine pelos jovens da AJN. No jornal, os visitantes da mostra puderam compartilhar seus desejos e percepções.