Adeus, Lênin!: Muitas vezes todos precisamos ouvir mentiras

Sérgio Rizzo, crítico de cinema* Em 10 de novembro de 1989, o mundo inteiro assistiu pela TV à queda do Muro de Berlim, que dividia a cidade em duas partes, uma controlada pela Alemanha Ocidental e a outra, pela Alemanha Oriental, representando a polarização do planeta em dois blocos político-econômicos, o capitalista (sob influência dos EUA) […]Ler mais

Lugar Nenhum na África

Depois do choque pela mudança, alemães foram se “africanizando” Sérgio Rizzo, crítico de cinema* Em 1938, aos 5 anos, Stefanie Zweg mudou-se em companhia dos pais para um vilarejo no interior do Quênia, a 3 mil metros de altitude. Sua família era judia tradicional, mas não ortodoxa, e decidira fugir da Alemanha nazista antes que […]Ler mais

Questão de Imagem

Sérgio Rizzo, crítico de cinema* Sede é tudo, imagem é nada – era mais ou menos isso o que dizia, anos atrás, a propaganda de um refrigerante. Paradoxalmente, essa mensagem chegava ao público por meio do que move a sociedade de consumo: as imagens – nesse caso, as do reino da publicidade. De acordo com as […]Ler mais

Longe de casa

História de amor sobre uma geração de afegãos que vive clandestinamente em outros países e não conhece sua pátria Sérgio Rizzo, crítico de cinema* Os afegãos vivem um dos piores dramas do planeta há mais de 20 anos. De 1979 a 1989, houve a batalha contra a invasão soviética. Depois, a milícia Taliban impôs sua […]Ler mais

Os sonhadores

Sérgio Rizzo, crítico de cinema* Para quem nasceu na década de 80, maio de 1968 é um momento distante e mitológico em que os jovens de então – hoje na passagem dos 50 para os 60 anos – se defrontaram com a tentativa de tornar a vida pública mais coerente com os princípios de igualdade […]Ler mais

Edukators

Sérgio Rizzo, crítico de cinema* Que a sociedade de consumo incentiva a apatia e realimenta a desigualdade social, todos concordam. As divergências, sobretudo entre os jovens, dizem respeito ao que se poderia fazer para atacar o problema. Muitos preferem a ação político-social organizada, acreditando que as transformações possam ocorrer sem desrespeito às “instituições” e às […]Ler mais

Pais e filhos

Sérgio Rizzo, crítico de cinema* As difíceis relações entre pais e filhos já forneceram excelente matéria-prima para obras notáveis na literatura e também no cinema, mas poucas vezes foi possível encontrar, em páginas ou na tela, tanta poesia quanto em “As Chaves de Casa” (2005), do italiano Gianni Amelio (de “As Portas da Justiça”, “América […]Ler mais

Câmera na mão, país na cabeça

Sérgio Rizzo, crítico de cinema* Na primeira década do século 21, uma das principais novidades do cinema europeu foi a produção jovem da Romênia. Feita com recursos limitados, mas com muita criatividade e a disposição de analisar a história recente do país em perspectiva crítica, essa elogiável safra de longas que foram consagrados em festivais […]Ler mais

Um olhar para a vizinhança

Sérgio Rizzo, crítico de cinema* Responda rápido: quantos escritores, cineastas, músicos e artistas plásticos dos países vizinhos ao Brasil você conhece? Agora, compare com o número de norte-americanos. É provável que tenha dado uma goleada para os EUA. Embora estejamos cercados na América do Sul por sociedades muito semelhantes às nossas, e que falam um […]Ler mais