Mais amor, menos motor

 

Por: Elisangela Cordeiro

Os gritos ”menos carros e mais bicicletas”, “compartilhe a rua”, e os cartazes “Sua pressa vale uma vida?”, “Mais amor, menos motor”, “Respeite a vida” foram ouvidos e vistos ontem, 06, à noite em 39 cidades pelo Brasil. A Bicicletada Nacional aconteceu contra a violência no trânsito e a falta de respeito às bicicletas, que no último dia 2 causou a morte por atropelamento de cinco ciclistas  em Brasília, Belém, Pernambuco, Santa Catarina e São Paulo

Os protestos pautaram mais respeito e prioridade nas políticas públicas de mobilidade para evitar os constantes atropelamentos dos usuários de bicicletas, aumentando a segurança dos ciclistas.

A manifestação em São Paulo aconteceu na Av. Paulista, passando pelas duas “ghost Bike” (biclicleta fantasma, brancas em sinal de protesto) colocadas em memória à Juliana Dias, que faleceu nesta sexta-feira quando fazia seu trajeto de casa para o trabalho e à Márcia Prado, atropelada no mesmo ponto da via, nas imediações da Rua Pamplona em janeiro de 2009.

Diariamente ciclistas estão expostos aos riscos das ruas. É de responsabilidade das prefeituras garantir ciclovias, vias sinalizadas e passar a ver a bicicleta como um veículo e um meio de transporte alternativo, cada vez mais utilizada nas cidades por pessoas que acreditam em outra forma de construir um mundo melhor.