Soluções dos povos: Cúpula apresenta resoluções finais

Por Akhim Salles, Eric Silva e Vânia Correia


Aconteceu na tarde desta quinta-feira a Assembleia dos Povos, aonde foi apresentada a síntese das cinco plenárias de convergência, realizadas durante a Cúpula. O documento elaborado ao longo desses dias traz o conjunto de soluções dos povos para o enfrentamento da crise global e construção de alternativas de desenvolvimento.

A assembleia foi animada e cheia de entusiamos. As apresentações dos pontos do documento foi intercalada por apresentações musicais, teatrais e de vídeos de momentos da Cúpula.

Soluções

As resoluções apresentadas sintetizam a agenda dos movimentos sociais para o desenvolvimento. Marcada, sobretudo, pela crítica ao capitalismo neoliberal, as propostas da Cúpula chamam a atenção para a importância de superar o modelo de mercantilização da vida humana e da natureza.

Entre as soluções apresentadas estão a demarcação urgente de terras indígenas e quilombolas, soberania alimentar, direito à cultura e à comunicação, suspensão do pagamento das dívidas externas, democratização dos organismos internacionais, erradicação do trabalho escravo e infantil, agroecologia, igualdade de gênero, entre outras.

A versão final do documento, que será apresentada na Assembleia do último dia, estará disponível no site da Cúpula.

 Liberdade de expressão para outro mundo

O direito à liberdade de expressão e à comunicação foi um dos pontos apresentados, em quase todas as plenárias de convergência, como elemento fundamental para alcançar outro modelo de desenvolvimento.

O cenário de contração dos meios de comunicação, repetido em várias nações, fere o direito humano à comunicação e impede que outros modelos e visões de mundo ganhem espaço e vasão na sociedade. “Nós queremos que a comunicação, a cultura e a informação sejam reconhecidos como bens comuns para construir um novo paradigma de sustentabilidade. Pois sem o direito à identidade cultural, à memória, não dá pra ter desenvolvimento sustentável”, diz a jornalista e ativista Feminista, da Ciranda Comunicação Compartilhada, Terezinha Vicente.

 Juventude

O Enlace das juventudes também apresentou o posicionamento dos jovens sobre o modelo de desenvolvimento no qual acreditam. Em sintonia com o conjunto dos movimentos sociais, criticaram a ideia de economia verde e apontaram a importância de garantir espaços de participação da juventude nos espaços de discussão, formulação, execução e acompanhamento das políticas públicas.