Religião na Prática!

O ditado popular diz: “Religião não se discute, respeita-se”. Apesar disso, estudiosos revelam a necessidade de discuti-la, sob a consideração de dois aspectos: por ser uma forma de mobilização social das juventudes e formação da personalidade e seus valores, além de auxiliar no convívio em comunidade para a sua formação social.

O sociólogo e especialista em Ciências da Religião Tony Welliton da Silva Vilhena, comenta que Karl Marx, em um de seus escritos, afirma que a “religião é o ópio do povo”, usada para ludibriar as pessoas. Entretanto, o especialista entende que “a religião é como uma erva curativa, que soluciona problemas”, e como o jovem está em busca da sua afirmação e de um sentido de vida, a religião surge como alternativa para o público juvenil.

Para Patrícia Alexandre, professora da Faculdade de Teologia Metodista Livre, localizada em São Paulo (SP), o papel da religião é duplo: “Ela tem a função de ligar o homem com o sagrado e, ao mesmo tempo, tem uma questão social. Se você pensar  na proposta de Jesus, ela é muito social, pois fala sobre igualdade entre todos.”

Consciência e ação social

“Ajudar o próximo”, esse é o lema de jovens que, por meio da religião. encontraram uma forma de mudar a realidade em que vivem. Doar Cestas de Natal, ouvir alguém que precisa de ajuda, doar sangue, visitar asilos e orfanatos são atitudes incentivadas pelas igrejas, e apoiadas por jovens.

“o que me incentiva é saber que o pouco que faço poderá ajudar muito uma família”, afirma Bruna Abranches, católica de 20 anos, que fez uma campanha de doação de alimentos para promover ceias de Natal para diversas pessoas de sua comunidade.

Outra atividade que os jovens também vêm fazendo é a visita a orfanatos. Bruna e os amigos  da igreja levam brinquedos, roupas; brincam, conversam e compartilham seu tempo com as crianças que auxiliam.

Também Mariana Castilho, espírita Kardecista de 21 anos, sentindo que sua rotina estava vazia, percebeu que deveria preencher seus dias com atividades úteis. A jovem resolveu aproveitar as oportunidades mais próximas, como atuar como voluntária no asilo de idosos mantido pelo centro espírita que frequenta, na zona sul  de São Paulo (SP),                                no qual sua mãe também atua.

Vinícius Ribeiro Moreira, de 21 anos, dedica-se à prática religiosa. O jovem trabalha uma vez por semana na aplicação de  passes nos frequentadores da casa espírita que vai desde quando era criança.

Para o espiritismo, o passe é uma reposição energética feito por meio da imposição de mãos sobre quem o recebe. A energia é transmitida por meio de um médium, neste caso, Vinícius, um intermediário das energias que provém do plano espiritual.

” Eu vejo o trabalho mediúnico como uma forma de caridade. Uma caridade verdadeira, uma forma de ajudar tendo ou não dinheiro, depende apenas da boa vontade e do conhecimento pelo qual o médium se compromete em buscar. E também é uma oportunidade de corrigir erros passados e crescer, segundo os  ensinamentos trazidos pela doutrina espírita.”, afirma Vinícius.

A matéria na íntegra você confere no site da viração, acesse: www.issuu.com/viracao/docs/edicao_78

Nesta edição, você também fica por dentro do plebiscito que ocorre em dezembro no Pará para consultar a população sobre uma possível divisão do Estado em três, na reportagem Dividir ou não dividir, eis a questão!, e ainda confere a biografia de Steve Jobs, morto em outubro, no Que Figura!