UNICEF lança concurso para ilustrar capa de publicação sobre os 25 anos do Estatuto da Criança e do Adolescente

Caravela_Anderson Dantas

Do UNICEF | Imagem: Anderson Dantas (Revista Caravela)

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) lançou hoje um concurso de desenho para meninas e meninos entre 12 e 17 anos de idade. A arte vencedora vai ilustrar a capa da publicação que o UNICEF divulgará no próximo dia 13 julho para celebrar os 25 anos do Estatuto da Criança e do Adolescente.

Para participar, o adolescente deve criar e enviar para o UNICEF, até o próximo dia 25 de junho, um desenho baseado no Estatuto da Criança e do Adolescente que responda a seguinte pergunta: O que é ser adolescente hoje no Brasil?

O desenho deverá ser enviado eletronicamente em formato de imagem (jpg ou jpeg) em tamanho de até 5MB para o e-mail: comunicacao@unicef.org. O concurso é individual e os desenhos devem ser inéditos.

O resultado da arte vencedora será divulgado até o dia 1º de julho de 2015 por meio do website do UNICEF e redes sociais. O melhor desenho ilustrará a capa da publicação do UNICEF em comemoração aos 25 anos do Estatuto da Criança e do Adolescente, com versões impressas e digitais.

Para mais informações sobre como participar do concurso e a premiação, leia o regulamento.

Estatuto da Criança e do Adolescente

Ao longo dos últimos 25 anos, o Brasil obteve importantes conquistas na garantia dos direitos de suas crianças e seus adolescentes. O País tem uma das legislações mais avançadas do mundo no que diz respeito à proteção da infância e da adolescência. Uma conquista que começou com a Constituição de 1988 e ganhou mais força com a aprovação do Estatuto da Criança e do Adolescente, em 13 de julho de 1990.

O Estatuto – legislação que se tornou referência mundial – colocou o Brasil em sintonia com os avanços internacionais na área da defesa dos direitos de crianças e adolescentes. Desde sua aprovação, tem contribuído de forma decisiva para o País avançar na garantia desses direitos.

Apesar desses avanços, ainda permanecem grandes desafios para que a igualdade de direitos seja uma realidade no cotidiano de todas as meninas e meninos brasileiros. É preciso, sobretudo, adotar políticas públicas capazes de celebrar a riqueza da diversidade, combatendo as desigualdades geográficas, sociais, demográficas e étnicas.

Sobre o UNICEF

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) promove os direitos e o bem-estar de cada criança em tudo o que faz. Com seus parceiros, trabalha em 190 países e territórios para transformar esse compromisso em ações concretas que beneficiem todas as crianças, em qualquer parte do mundo, concentrando especialmente os nossos esforços para chegar às crianças mais vulneráveis e excluídas.