Seminário Internacional Caboclo Índio Marcelino começa hoje com ritual Porancy Tupinambá

O IV Seminário Internacional de História e Cultura Indígena: Índio Caboclo Marcelino começa hoje com o ritual Porancy Tupinambá, que é uma forma de comunhão coletiva dos índios com a mãe terra. Ainda na programação do dia serão realizadas duas rodas de conversa. A primeira é “História, Cultura e Luta dos Povos Indígenas no Brasil e o Medo” e a segunda “Roda de Conversa: Reconhecimento étnico, autodeterminação, demarcação territorial e criminalização”.

Todo seminário terá cobertura diária por foto, vídeos, rádio e reportagens, produzidos colaborativamente pelos indígenas do povo Tupinambá de Olivença, distrito da cidade de Ilhéus (BA). As reportagens em vídeos serão feitas por Hellen, de 17 anos, e Nynhã, de 20. Elas vêm participando das oficinas da OCA Digital desde abril, um projeto da ONG Thydêwá, localizada em Olivença. Ambas são moradoras da Aldeia Itapoã, onde o Seminário será realizado amanhã (28). A Aldeia Itapoã foi retomada em 2008. Os indígenas encontraram apenas um lixão e matagal. Hoje na aldeia vivem mais de 60 famílias, que retiram a sua renda da plantação de mandioca, da produção de farinha e da piaçava.

Welker, de 15 anos, morador da Aldeia Piracema, na retomada do Santana e George, de 17, morador da Aldeia Mãe em Olivença, serão os fotógrafos desta cobertura. As primeiras áreas na localidade de Santana foram retomadas em julho de 2011. O local era dominado pela monocultura do cacau e hoje os índios plantam milho, abóbora e banana.

Jaú, de 20 anos, e Jaborandi, de 29, moradores de Olivença farão a cobertura pela rádio Oca Tupinambá. Jaborandi também será o coordenador da cobertura. Uma das aldeias mais antigas da região, Olivença é hoje distrito do município de Ilhéus. A primeira vez que apareceu nos livros de história foi em 1559, na Batalha dos Nadadores, quando Mem de Sá, terceiro governador-geral do Brasil Colonial exterminou os povos Tupiniquim e Tupinambá da região. Dados como extintos ainda no século XVI, os Tupinambá de Olivença só tiveram seu reconhecido étnico pela Funai/Ministério da Justiça em 2002.

Programação de hoje:

27/09/2012 (Quinta-Feira)
9h00 /12h00
(Em Santana – nas recentes Retomadas)

Porancy Tupinambá

Roda de Conversa de Abertura (Mesa de Abertura): História, Cultura e Luta dos Povos Indígenas no Brasil e o Medo
Com Anciões, Caciques, Lideranças Indígenas, Comunidade Tupinambá, Organizadores do Evento, Entidades, Demais Presentes

14h00 / 17h00
(Em Santana – nas recentes Retomadas)
Roda de Conversa: Reconhecimento étnico, autodeterminação, demarcação territorial e criminalização

Texto elaborado colaborativamente pela equipe de cobertura.

Jornalista, professor e educomunicador. Responsável pelos conteúdos da Agência Jovem de Notícias e Revista Viração.

Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *