Com cartazes estudantes se expressam.

SBPC Jovem abre espaço para o Movimento Estudantil

 

A União Brasileira de Estudantes Secundaristas realizou na tarde dessa quinta-feira, na 64ª Reunião da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência(SBPC), um memorial para retratar a jornada de militância do movimento estudantil no Brasil. Um breve histórico sobre o movimento foi feito pela Diretora de Políticas Institucionais da UBES, a estudante Juliane Verceli.A história do Movimento: A UBES se organizou como movimento a partir do 1º Congresso Estudantil, realizado em 1948, que mobilizou estudantes de todo o Brasil, para irem à luta pelo direito estudantil, até então sufocado pelo período de ditadura. Segundo relatou Juliane, durante a realização do congresso inúmeros estudantes foram presos pelas forças militares que atuavam na ditadura, e alguns chegarem a ser mortos. Desde então o movimento foi potencializado e existe até hoje. Atualmente o Congresso da UBES é realizado de dois em dois anos e já está em sua 39ª edição. A diretoria executiva da UBES é eleita, também, de dois em dois anos durante a realização do congresso.Com cartazes estudantes se expressam.

Principais conquistas da UBES:
– 18 % do Orçamento Nacional para Educação, com a aprovação da emenda constitucional que pôs fim a DRU (Desvinculação das Receitas da União para a educação).
– Maior financiamento da Educação Básica, com o FUNDEB (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica).
– Introdução do 9° ano no ensino fundamental;
-Introdução das disciplinas de Filosofia e Sociologia no Ensino Médio;
– Introdução no currículo do Ensino Médio da disciplina de Espanhol;
– Piso salarial para os professores;
– 214 novas Escolas Técnicas;
– Ingresso de 700 mil jovens de baixa renda em universidades através do PROUNI;
– 14 novas universidades públicas e 117 novas extensões;
– EJA – Educação de Jovens e Adultos;
– Direito à meia passagem e meia entrada.

Atual Militância:
– 50% do fundo do pré-sal para a educação;
– Novo patamar de qualidade para Escola Básica;
– Massificação da Educação Integral;
– 50% de reserva de vagas para estudantes oriundos de escolas públicas, entre outros.

Juliane Verceli, destacou ainda a atuação da UBES em várias campanhas, entre elas a “Se liga 16”, que é uma campanha que visa mobilizar jovens de 16 anos a exercerem o direito não obrigatório ao voto: “ A Se Liga 16 é uma maneira de mostrar pros jovens  que eles tem possibilidades de escolher novos dirigentes para o país”, enfatizou a estudante.

Outra linha de atuação do da UBES é o combate à homofobia nas escolas. O programa Lambda atua nas escolas dando suporte e apoio aos estudantes homossexuais que em muitos casos são expulsos de casa e sofrem homofobia dentro da própria sala de aula.

O ex-presidente da União Brasileira de Estudantes Secundaristas (Maranhão – Piauí), Maxuel Gomes destaca a atuação da UBES no atual ENEM. Maxuel destacou que a principal militância da UBES é os 10% do PIB para a educação: “O ENEM resgata a vida do aluno, é uma prova analítica discursiva, abandona aquela decoreba, então, essa foi uma bandeira nossa em 2009, eu mesmo hoje sou universitário por causa do ENEM. O ENEM igualou o acesso ao ensino superior”. Maxuel destacou também que o vestibular tradicional não oferecia muitas chances aos estudantes de escola pública ingressar nas universidades.

Texto: Gustavo Serafim (MA) e Mauricio de Paula (MA) | Imagem: Mauricio de Paula (MA), jovens educomunicadores em São Luis (MA).

Conheça mais a UBES:
http://ubescomunica.wordpress.com/category/ubes/

 

 

 

 

Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *