São Paulo se liga na literatura!

Adrielly dos Santos e Henrique Souza

Durante os dias 09 e 10 de setembro, aconteceu o 2º Seminário LiteraSampa,  que abordou o tema Bibliodiversidade, que estimula a busca pela leitura e diversidade cultural.
Para dar início ao evento, houve a  mesa Parcerias Institucionais para Garantia do Direito à Leitura. A mediadora da discussão foi Bel Santos, coordenadora do Polo de Leitura LiteraSampa e do Programa de Direitos  Humanos do IBEAC.
As representantes das entidades parceiras falaram a respeito do tema aos presentes e defenderam a ideia de que o Brasil se importa com a leitura, apesar de não ser um hábito de todos os brasileiros. Patrícia Lacerda, que é gerente da área da Educação, Arte e Cultura do Instituto C&A, que além de expor o processo da organização em prol da leitura, afirmou que a sua empresa procura fortalecer causas voltadas à educação e organizações sociais.

Uma super dica, que foi dada por Maria Zenita Monteiro, coordenadora do Sistema Municipal de Biblioteca, foi a de visitar as várias bibliotecas temáticas espalhadas pela capital paulista, entre elas: Pinheiros, que trabalha com poesia; Santo Amaro, dedicada à Cultura Popular; Tatuapé, com acervo voltado para a música; e para quem curte a natureza, pode procurar no acervo da Aclimação livros sobre meio ambiente.
Num momento relax do seminário, a Trupe literária nos presenteou com uma linda apresentação de trechos das obras literárias, em forma teatral.

O evento durou o dia todo e teve o período da tarde dedicado às oficinas na Biblioteca Monteiro Lobato.

Já a programação do dia 10 ocorreu somente no período da manhã. Este dia contou com a participação de Neide de Almeida, socióloga e Mestre em Linguística Aplicada pela PUC-SP, que lançou seu olhar sobre literaturas  africanas e afrobrasileiras, com relação a sua importância nos acervos literários. Ela convidou o escritor e poeta Luiz Silva, mais conhecido por Cuti, que recitou seus poemas encantando a todos.

Para apoiar a ideia que a literatura conecta as pessoas independente da cultura vivída em cada região e para fechar com chave de ouro o seminário, o convidado Paulo Daniel Farah, do Centro de Pesquisa América do Sul/ Países Árabes e diretor da Bibliaspa, contou sobre a experiência que viveu durante o tempo em que realizou a pesquisa sobre a cultura árabe, em vários países,  e hoje disponibiliza cursos gratuitos de cultura e língua árabe no Instituto Bibliaspa.

Também estiveram presentes na programação de sábado César Obeid, escritor de cordel para crianças e repentista, e Sueli Nemem, professora de Biblioteconomia do Senac. O primeiro, autor de vários livros, abordou a relevância cultural da Literatura de Cordel no Brasil, enquanto Sueli abordou o tema “Diversidade de acervos: infinitas possibilidades, encantos incontáveis”, falando sobre a importante relação entre acervo e diversidade.

Ainda no sábado, aconteceu na Biblioteca Monteiro Lobato o LiteraSampinha, com oficinas de literatura voltadas para crianças. Houve leitura compartilhada e, com apoio da organização Espaço Arterial, foi produzido, pela garotada participante um jornal literário.

 

Adrielly

Ver +

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *