Rio+20: Sociedade Civil. Presente!

Convergência entre os movimentos sociais, juventudes e crianças, assim destaco a  Cúpula dos Povos  na Rio+20 por justiça Social e Ambiental. Chego em meu município com uma outra ideia de mobilização e do comprometimento das juventudes. Durante os dias 15 e 21 de junho estive reunido com milhares de jovens de diversos segmentos da sociedade civil do Brasil e do mundo com os mesmos sentimentos, o de contribuir desse que chamamos do maior acontecimento da terra, a Rio+20, embora saibamos que não podemos esperar muito da conferência oficial, sendo que os principais atores criticam o documento final, ou como disse a ministra de Meio Ambiente, Izabella Teixeira que o documento final da Rio+20 não atende a todas as “ambições” do Brasil. Mas foi muito importante que pudemos mostrar que a juventude bem como toda a sociedade está se mobilizando para mostrar ao mundo que políticas da ONU não nos representam.
A Cúpula dos povos, foi um espaço plural dos movimentos sociais, bem como toda a sociedade para debater os temas da Rio+20 e pensar em novas políticas de desenvolvimento sustentável, além de ficar antenado de todas as negociações do Riocentro (onde acontecia a Conferência oficial). Dentre a Cúpula as opções de atividades e troca de experiência eram muitas, dava para ficar perdido. Destaco pavilhão que estava sempre lotado, o quinto, onde a mais aguardada e hoje mãe, Serven Suzuki- a garota que calou o mundo na ECO92, discursava. Serven, fez com que eu me emocionasse a três anos atrás quando cursava técnico em meio ambiente; assistindo ao vídeo emocionante de uma garota de 12 anos preocupada com o futuro dela e de todas as crianças; e hoje ela novamente  me emociona ao dizer que hoje ela está lutando por um futuro melhor para seus dois filhos: “Quando olhamos para o progresso alcançado nos últimos 20 anos, é fácil ficarmos desencorajados. Mas hoje, eu sou uma mãe. Eu tenho dois pequenos meninos, um de 2 e outro de 4 anos. E eu vou fazer de tudo que eu puder para garantir que os meus filhos tenham grandes oportunidades em um grande mundo”, disse Serven emocionada.

Na mesma plenária e também aguardada, a ex-ministra de meio ambiente, Marina Silva, falou que diferentemente do que disse a jovem Serven que nada mudou, a ministra enfatizou  que tudo  retrocedeu. Marina, disse não estar ali por ser oposição ou situação a presidenta, está  porque tem posição, posição por um desenvolvimento sustentável, posição por um Brasil a favor da vida.

Dentre tantas ações em favor de um ambiente mais sustentável, recebemos o chamado para o ato contra a “economia” verde, no Riocentro, onde acontecia a conferencia oficial da ONU, por ser um área restrita havia o informe de risco eminente de reação por parte da segurança contra o ato, tivemos a coragem de ir e mostrar a nossa indignação  contra essa falsa economia; é clrao que não fomos reconhecidos pela mídia nacional, mas fiquei muito feliz de receber os elogios dos jovens internacionais, e isso muito me orgulha. Fico ainda mais orgulhoso de ter participado da Marcha dos Povos que levou as ruas do Rio cerca de 80mil pessoas- em defesa dos bens comuns e contra a mercantilização da vida.

A Cúpula dos Povos elaborou baseado nos temas discutido durante toda o evento um documento final, que contém todos os anseios da sociedade civil presente, onde mostramos que somos contra a mercantilização da vida e fazemos defesa dos bens comuns e da justiça social e ambiental.

Trago na bagagem toda a esperança de um povo que durante todos esses dias lutaram para um mundo mais justo e igualitário, e é com essa luta que chego em meu municipio para ser um agente de mudança, e que só assim conseguiremos avanços.

Por Alcebino José da Silva

bino
Militânte dos direitos da juventudes: LGBTT, Meio Ambiente, estágiario na Empresa Junior da Faculdade exercendo o cargo de Diretor de Marketing, trabalho no Projeto Guri- AAPG- Governo do Estado de São Paulo

Ver +

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *