Relatos da 2ª Conferência de Juventude em São Paulo

Por: Agência Jovem de Notícias, Plataforma dos Centros Urbanos e Pirados na Notícia

No último dia 17 de setembro, na Universidade São Judas Tadeu, no bairro da Mooca, zona leste de São Paulo (SP), foi realizada a 2ª Conferência Municipal de Juventude, contribuindo para uma etapa preparatória para a conferência estadual a ser realizada no Guarujá (SP) nos dias 29 e 30 de outubro. Todas essas etapas são uma preparação para a Conferência Nacional da Juventude, evento que será em Brasília entre os dias 9 e 12 de dezembro, com o tema: “Conquistar direitos, desenvolver o Brasil”.

Neste ano, o objetivo da conferência em geral é contribuir para o fortalecimento da política nacional de juventude, que auxilie nas políticas de seu município e na construção de um Brasil que leve em conta a participação juvenil, já que os jovens representam 50 milhões de brasileiros, quase 30% de toda a população do país.

Após a abertura do evento teve a composição das mesas de debate. Já na parte da tarde, os participantes foram divididos em cinco eixos temáticos para discussões e levantamento de propostas:

– Direito ao desenvolvimento integral

– Direito ao território

– Direito à experimentação e qualidade de vida

– Direito à diversidade e à vida segura

– Direito à participação

 

Confira alguns relatos da galera da Agência Jovem de Notícias, da Plataforma dos Centros Urbanos e do Pira na Notícia, que fizeram a cobertura do evento, que contou com a participação de mil jovens da Região Metropolitana de São Paulo. Ao todo, foram eleitos 31 delegados de cada grupo temático. Somente em São Paulo, 14 jovens da Viração se elegeram delegados, além de um suplente, que seguirão com suas propostas e discussões para a etapa estadual, no Guarujá.

 

Da diversidade à participação 

“Durante os debates, no eixo quatro, de Diversidade e Direitos Humanos, foram indicadas as proposta de como preparar professores para saber lidar com a diversidade em sala de aula, e também foi elaborada uma proposta a respeito do genocídio de Jovens pela Policia. No eixo cinco, sobre participação, tiveram muitos comentários e opiniões da juventude, professores e moradores. O foco foi na participação dos alunos em grêmios estudantis nas escolas, como comenta Beatriz, estudante do 3º ano do ensino médio: “Nós, do grêmio, não temos voz, a diretoria da escola não apóia. Com muitos comentários, opiniões e reclamações, foram montadas, somente na plenária do no eixo sobre participação, 23 propostas. Destas, três “propostas centrais foram eleitas para as próximas etapas da Conferência”.

(Por: Gutierrez de Jesus Silva, Joabe Yuri e Tamires Ribeiro)

Desorganização

“A Conferência tem o objetivo de dar voz aos jovens, de olhar para o que eles querem de melhor na cidade. Infelizmente não senti isso no evento, talvez por parte da secretaria de juventude que não disponibilizou um regimento e não pensou muito bem no local, pois, em alguns momentos tivemos que nos deslocar, aquelas dezenas de jovens, dentro e fora da sede. Mas tudo isso é algo que pode ser corrigido na etapa estadual, e destaco como o melhor do dia, a integração de tantas entidades, associações e centros educacionais, de todos os cantos da cidade. Pude ver algumas ONGs do meu bairro, e isso dá certeza de que a Conferência tem muito a crescer para alcançar todos os jovens.”

(Por: Donizete Gomes)

Qualidade de Vida

“A 2ª Conferência de Juventude foi dividida em vários eixos temáticos  onde os jovens escolhiam e  expressavam sua opinião. No eixo 3 – Direito à Experimentação e Qualidade de Vida – uma das temáticas era juventude e cultura e haviam convidados para dirigir o grupo. Vários jovens, entre eles professores, alunos, dançarinos etc., debateram e todos expuseram a usa opinião sobre o que fazer para melhorar a cultura e o que deveria ser feito para que os jovens aproveitassem o seu tempo livre com atividades sadias. Em meio a personalidades diferentes, ocorreu uma pequena discussão, porém nada grave. Em vista de muitas pessoas, a Conferência deveria ser mais organizada, porque o regimento veio meia hora depois que todos estavam na sala, algo que deveria ser entregue antes. E sem contar que no dia da conferencia Municipal de Juventude estava ocorrendo a Virada Esportiva, outro evento dirigido pela Prefeitura de São Paulo, no mesmo espaço! Os eventos entraram em “atrito”.

(Por: Elizabeth Barros)

Cultura

“Eu fiquei no Eixo 1, “Juventude e cultura”,  e esse grupo foi bem movimentado, foi bastante gente. Começamos com a apresentação, queríamos saber o nome do pessoal que se encontrava na mesa, logo depois disso o coordenador  falou um pouco sobre o que aquele tema tinha em comum com a educação. Assim que ele terminou, a organizadora do grupo queria saber as opiniões e o que agente achava sobre isso. Muitas pessoas queriam falar. Discutimos as propostas de todos os jovens e escolhemos três. Quando terminamos de escolher as propostas, foi feita a seleção dos delegados para a etapa estadual. Pouca gente quis se candidatar, por isso nem foi necessário eleição.”

(Renan Motta)

Evelyn Araripe é jornalista e educadora ambiental. Foi educomunicadora na Viração Educomunicação entre 2011 e 2014. Atualmente vive na Alemanha, onde é bolsista do programa German Chancellor Fellowship for tomorrow’s leaders e administra o blog Ela é Quente, que conta as histórias de vida de mulheres que estão ajudando a combater os efeitos das Mudanças Climáticas ao redor do mundo.

Ver +

2 Comentários

  • Olá joana gostaria de saber a data que acontecerá a conferencia ai, e que eixo você pretende esta participando?

  • Olá, eu irei participar da etapa municipal no meu estado Tocantins, queria algumas informações ou sugestões, pois pretendo sair como delegada! Ao contrario dai todos querem sair como delegados!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *