Que Cidade Queremos Para Viver??

 PROGRAMA: JUVENTUDE, PARTICIPAÇÃO E AUTONOMIA – JPA.

 

AÇÃO: CAMPANHA “QUE CIDADE QUEREMOS PARA VIVER?”

 

AÇÃO: Atividades de incidências em comunidades educativas com adolescentes, jovens e representações de instituições parceiras, envolvidas no Programa JPA, para realização de ações (oficinas, caminhadas, palestras, seminários, etc.) na indicação de 01 Eixo Focal, entre: 1)Educação Ambiental e 3)Ecumenismo.

OBJETIVO: Articular a juventude das comunidades participantes envolvida no Programa JPA para o desenvolvimento e dinamização de ações locais propostas a partir dos planos para 2012, nas 15 comunidades educativas participantes do Programa JPA (RMB, MRB e STM) contribuindo para o empoderamento da juventude amazônica, fortalecendo e ampliando ações individuais e coletivas pela promoção e garantia de seus direitos.

EIXO: ECUMENISMO.

Objetivo: Aproximar o diálogo inter-religioso das juventudes tendo como horizonte a promoção dos direitos e a vivencia livre da fé em comunidade.

 Ações para a Campanha:

1- Promover momentos de reflexão e ações (palestras, seminários e ato show) com a diversidade religiosa para enfrentamento da intolerância religiosa;

2- Envolver os jovens nas atividades do Comitê inter-religioso e na Rede Ecumênica da Juventude- REJU, para fomento e inserção na rede;

4- Organizar 1ª Jornada Ecumênica da Juventude da Região Metropolitana de Belém a partir das atividades realizadas (1º semestre) para compartilhar e socializar ações ecumênicas envolvendo a juventude (2º semestre).

 

EIXO: EDUCAÇÃO AMBIENTAL.

Objetivo: Compartilhar a realidade sócio-ambiental da Amazônia (urbano e rural), alinhado aos Diretos Humanos, Culturais, Sociais e Ambientais existentes na plataforma DHESCA.

  Ações para a Campanha:

1-    Realizar momentos de reflexão e ação (oficinas e palestras) em prol da Educação Ambiental em algumas escolas da comunidade, envolvendo desde séries primárias fortalecendo movimento por um meio ambiente/comunidade mais saudável;

2-    Trabalhar a temática ambiental nas comunidades educativas, fazendo uma abordagem mais direta sobre os DHESCA´s e grandes projetos na Amazônia com vistas a construir uma campanha educativa;

3-    Promover debate sobre o RIO+20, esclarecendo e informando a juventude da importância de sua participação, por meio da inserção nas redes (FAOR, REJUMA, Viração e REJU).

Eixo transversal: COMUNICAÇÃO

Objetivo: Trabalhar a comunicação como dimensão humanizadora e como instrumento de libertação e integração entre as pessoas e o mundo, possibilitando além do entendimento, as produções e visibilidades das atividades nas comunidades através do olhar da própria juventude.

Ações:

Fomentar iniciativas formativas para sensibilização e inserção de representações jovens das comunidades na RENAJOC;

  • Jovens da RENAJOC acompanham, registram e produzem materiais para fortalecimento das ações da “Campanha Que Cidade Queremos para viver?

 ATIVIDADES:

1)       Encontros com parceiros e jovens nas comunidades;

2)       Cada comunidade indicará um Eixo para desenvolver, através de Plano de ação, elaborado a partir da matriz do Programa JPA, versão 2012;

3)       Jovens, Parceiros e Educadores ficarão responsáveis em elaborar, registrar e propor a dinamização e visibilidade das atividades para a realização da Campanha;

4)       Os encontros serão definidos de acordo com a necessidade e disponibilidade de cada comunidade.

5)       Promover com outros parceiros, campanhas pelos direitos sociais da juventude: redução da idade penal, educação ambiental e reforma política com participação social, com a formação de comitês de apoio nas comunidades.

 O QUE A UNIPOP, PARCEIROS E JOVENS PARTICIPANTES DO PROGRAMA JPA PRETENDEM COM A REALIZAÇÃO DA CAMPANHA.

 

Que o envolvimento direto no planejamento e desenvolvimento das ações, desenvolva em cada jovem a postura crítica, propositiva e construtiva de ações, assumindo a condição de sujeito empoderado buscando a melhoria de seu entorno social, para conquista de uma cidade sustentável e justa em igualdade e liberdade, que todos e todas possam viver com dignidade.

A reflexão sobre a cidade que temos e qual queremos para viver, serve de estímulo para sensibilização e “convocação de vontades” das juventudes nas comunidades e para o desenvolvimento de um “novo ou outro” olhar da juventude pelo direito à cidade.

A proposta é fazer com que os jovens pensem e construam ações coletivas e de impacto local, em prol da melhoria da qualidade de vida, desenvolvam ações compartilhadas no sentido da prevenção, manutenção, organização e preservação de espaços públicos já construídos, pela melhoria na qualidade do transporte urbano, pelo acesso e garantia de saneamento básico, enfim, pela garantia dos direitos básicos de todo ser humano.

Que suas reivindic(ações) sejam socializadas e divulgadas, via elaboração de propostas (cartilha), apropriando-se também de diversas ferramentas de comunicação, principalmente virtual, que tenham foco as ações de incidência na perspectiva da luta pela garantia de seus direitos, onde espaços públicos sejam utilizados pela comunidade para momentos culturais, esportivos e de lazer, onde crianças, jovens, adultos e idosos possam compartilhar e integrar-se socialmente, pressupondo com isso, a qualidade de vida que todo ser humano merecer ter. Proposições essas acompanhadas de momentos de orientações pedagógicas,

sensibilização e tomada de consciência por parte da população, quanto ao uso e preservação desses espaços. Etapas que somam-se aos desafios e as conquistas.

Nesse sentido, nosso desafio é fazer com que os “olhares” e as propostas dos jovens participantes do programa JPA sobre a melhoria de suas cidades, sejam apresentadas e representadas por eles/as para as autoridades locais e/ou estadual e os órgãos competentes para fins de incidências em políticas públicas.

CRONOGRAMA

Março – planejamento das ações nas comunidades;

Maio a Abril – realização das ações nas comunidades;

Junho – apresentação da Performance Teatral, tendo o Tema e Lema da Campanha como título, pelos jovens da Ilha de Cotijuba, em cada comunidade envolvida no Programa JPA.

Final do mês de Junho – organização e estrutura da Cartilha sobre a Campanha, a partir dos depoimentos e registros das atividades realizadas;

No 2º semestre – realização de 03 audiências públicas, uma em cada Município (RMB, MRB e STM) na Câmara dos Vereadores e 01 audiência na Assembléia Legislativa para apresentação das proposições sobre a “A cidade que queremos para viver”;

Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *