Peça de teatro retratou as relações do jovens no mundo tecnológico

Projovem Xaxim: Primeiro passo para muitos

Texto de Joseane Amélia e foto de Kevin Machado, do Virajovem Curitiba (PR)

Em Curitiba (PR), um grupo 15 de adolescentes participantes do projeto Projovem do bairro Xaxim, tiveram no sábado, dia 15 de dezembro, um dia especial. Eles encerraram as atividades do projeto, que teve duração de um ano, exibindo um curta metragem elaborado por eles. O grupo do Virajovem Curitiba foi na exibição do curta e participou da roda de conversa sobre drogas e violência.

O evento, que ocorreu no período da tarde, reuniu pais, educandos, educadores e comunidade. Intitulado de “Julieta já morreu”, o curta envolveu no processo de produção 26 adolescentes participantes do Projovem. O grupo realizou um debate sobre violência na escola e as relações dos jovens com as drogas.

O curta relata a história de uma adolescente que vai para uma festa junto com amigos da escola e bebe além do que devia. Ela acorda no outro dia passando mal, lembra somente de ter saído com um menino e quando olha vê que está vestida com a camiseta dele. A jovem, desconfia que está grávida. Este curta, foi resultado das oficinas do projeto desenvolvido durante um ano.

Durante o processo de formação, os adolescentes do Projovem são preparados para ingressarem do mercado de trabalho. O adolescente Everton Estevam destaca que além do aprendizado e do amadurecimento pessoal, o projeto permite você desenvolver algumas habilidades. “Eu era muito tímido, depois desse tempo no Projovem passei a ser um pouco extrovertido, mas continuo sendo um pouco tímido”, conta o jovem de 16 anos.

Juventude e Tecnologia

Os adolescentes do Projovem não só elaboraram um curta como apresentaram uma peça de teatro, na qual fazem uma crítica sobre a interferência das tecnologias nas relações sociais, principalmente no caso dos jovens. A peça retrata a intimidade que a criança e o jovem têm com a tecnologia, principalmente por não conseguir viver sem ela, atualmente acabam se esquecendo do prazer de brincar.

Após a apresentação da peça, todos os educandos e convidados foram convidados a compor uma roda, na qual todos falaram uma palavra para levar para a vida partir dali. As palavras “foco”, “força” e “fé”, apareceram muitas vezes, talvez por serem palavras chaves para se guardar no ano que há de vir.


Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *