Projeto Rede Escola Cidadã realiza seminário sobre cultura de paz e ações em rede em Belém (PA)

cultura de paz_3

Diego Teófilo e Sidney Silva, de Belém (PA)

 Na manhã da última sexta-feira (22), aconteceu no auditório David Mofarrej, no campus da Universidade da Amazônia – Unama Alcindo Cacela, o Seminário Ações em rede: tecendo paz nas escolas, promovido pelo Projeto Rede Escola Cidadã. O evento teve como objetivo explicitar e vitalizar o potencial de ações em rede, estratégias para a construção de uma cultura de paz no espaço escolar. Participaram da ação professores, gestores e técnicos ligados às secretarias municipal e estadual de educação, estudantes, representantes de organizações da sociedade civil. O seminário contou com o apoio da Fundação Instituto para o Desenvolvimento da Amazônia (Fidesa) e patrocínio do Instituto C&A.

A programação iniciou com a composição da mesa de abertura composta por: Aldo de Oliveira Brandão Sá, representado o Ministério público do Pará; Odília Malheiros, da Secretaria Estadual de Educação; Norma Carvalho, do Lar Fabiano de Cristo; Raquel Veiga da Secretaria Municipal de Educação; Ana Célia Bahia Silva, reitora da Universidade da Amazônia – Unama; e Lucia Garcia, articuladora do Projeto Rede Escola Cidadã. Logo em seguida aconteceu a apresentação do coral de servidores da Secretaria Municipal de Belém, interpretando clássicos da música regional paraense.

cultura de paz_2

Segundo Lucia Garcia, o “seminário foi o pontapé inicial de uma estratégia pensada pelo conjunto de organizações que fazem parte do Projeto Rede Escola Cidadã de começar a desenhar um território de paz. Nosso desejo é pensar em localizar diversas organizações que apontam e geram impactos para uma cultura de paz”. A proposta, a partir do seminário, é realizar uma série de ações com professores e moradores de comunidades atendidas pelo projeto, visando discutir estratégias de gerar paz em seus espaços.

Após a apresentação, a mesa de abertura fez a sua saudação e uma fala de boas vindas, da qual destacamos a da reitora da Unama, Ana Célia Bahia Silva, que ressaltou que “uma universidade que não se articula com o mundo real apenas fabrica diplomas”, destacando a importância da relação entre o ambiente acadêmico e comunitário. Norma Carvalho, do Lar Fabiano de Cristo, afirmou que “a atuação em redes é o canal local para prosperar a cultura de paz”, após as falas os adolescentes responsáveis pelo cerimonial do evento, começou a primeira palestra do dia.

O primeiro tema debatido foi “Cultura de Paz”, por Dirk Oesselmann da Evangelische Hochschule, de Freburg, Alemanha. Para o palestrante, “a paz se visualiza e materializa nas expressões culturais que une o brincar, o ritmo, o emocional, o sensual, a natureza…” fazendo uma referência à apresentação do coral de servidores da Semec. Dirk, logo após, destacou a paz como um recurso positivo do ser humano. Para ele, o primeiro passo para a conquista da paz é admitir que todos estamos em busca e que nenhum de nós somos perfeitos.

Logo em seguida, foi a vez de Adriano Guerra, consultor do Instituto C&A e fundador da ONG Oficina de Imagens – Comunicação e Educação, de fazer sua explanação. O palestrante ressaltou que a dinâmica de rede não deve seguir uma lógica hierárquica, mas de pontos de referência e que precisam estar articulados. Para essa, essa forma de atuação possibilita uma escala maior de ações.

A professora Ana Rosa destaca que “devemos ter a vontade de unir os diferentes, pois a não aceitação dos diferentes tem aumentado a violência. Este seminário pontuou muito bem que as redes devem se comunicar e não ficar isoladas, senão, não chegaremos a cultura da paz”.

Bruno Ferreira
Jornalista, professor e educomunicador. Responsável pelos conteúdos da Agência Jovem de Notícias e Revista Viração.

Ver +

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *