Tô procurando emprego, mas… e o currículo?

Aqui tem dicas básicas pra te ajudar a montar um currículo que carregue seu potencial para o mercado de trabalho

Não é fácil lidar com todas as exigências que pedem em vagas e montar um currículo às vezes pode ser uma tarefa complicada, mesmo quando a gente sabe que tem o perfil alinhado com o mercado onde queremos atuar.

Os currículos são uma forma padrão de apresentar nossas habilidades, experiências e objetivos profissionais, mas não precisam ser sempre do mesmo modelo, não precisam ter várias páginas e nem precisam ter informações que nos exponham ou que não digam respeito à vaga que desejamos.

De forma geral, as informações que os recrutadores mais olham quando recebem currículos são os campos “Objetivo profissional”, “Resumo das qualificações” e “Experiência profissional”

Você pode criar o seu currículo num documento em branco em programas como o Google Docs ou o Word, ou pode usar sites que oferecem esse serviço, como o Gerador de currículo ou o  CV Maker, além de plataformas de criatividade e design, como o Canva. A vantagem dessas ferramentas economizam tempo e te darão ideias para criar um currículo que fale sobre você além das palavras.

Se você cadastrar seu currículo em sites de emprego, não esqueça de manter as informações atualizadas.

Dicas gerais para criar seu currículo

  • Seja objetivo;
  • Dispense o título “Currículo” – use o espaço para o seu nome ou para criar um cabeçalho criativo
  • Pense boxes que agreguem as informações por grupo;
  • Destaque títulos;
  • Escolha fontes que facilitem a leitura;
  • Se for usar cores, combine-as pensando na leitura;
  • Sempre envie em PDF!

O que deve ter em um currículo?

Definir um objetivo profissional ajuda as pessoas responsáveis pela seleção a definir mais rapidamente se você está ou não apta a concorrer à determinada vaga.

Contar sobre as suas experiências de trabalho remunerado ou voluntariado, e descrever habilidades e qualificações pode ser útil para que as pessoas te conheçam e saibam o que esperar de você, caso te contratem. 

Citar a formação acadêmica e extracurricular é um bom complemento. Não esqueça de mencionar se ainda está cursando e qual a previsão de conclusão. Listar conhecimentos em programas e plataformas de trabalho/socialização também pode ajudar.

Informar sobre hobbies pode ser uma boa forma de valorizar sua trajetória, ainda mais quando falamos do primeiro currículo. Falar sobre seus hobbies demonstra habilidades e conhecimentos para além da formação acadêmica.

O que não precisa ter num currículo?

  • Dados pessoais – estado civil, número de documentos não precisam necessariamente estar no currículo; informe o endereço na entrevista;
  • Foto só é necessária se for relacionada à vaga;
  • Contatos de referência podem ser entregues depois da entrevista;
  • Pretensão salarial; só informe quando for solicitado;
  • Links de perfis em redes sociais – envie somente o que for relacionado à vaga, como por exemplo, páginas e contas de portfólio. 

Dicas de ouro:

  • Crie uma conta de e-mail mais formal para enviar seu currículo. Um bom exemplo é o formato nomesobrenome@provedor.com
  • Inclua informações de contato: um telefone e seu endereço de e-mail;
  • Não minta! Dizer que tem habilidades e conhecimentos em programas e softwares pode te colocar em enrrascadas caso você consiga a vaga;
  • Não fale de você na terceira pessoa!
  • Fuja de jargões e estrangeirismos!

No próximo post da série, a gente vai apresentar alguns modelos de currículo modernos e dinâmicos que podem ser úteis na hora de se destacar em um processo seletivo.

Ainda não viu o primeiro post da série Juventudes e mundo do trabalho? Confira agora a nossa lista de sites para começar a procurar emprego.

Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *