Primeiro passo, o check-in

Por Edson, Aldair, Luciano, David e Maileen.

Entrevistamos hoje, na chegada das delegações, os adolescentes e adultos e perguntamos sobre o que eles esperavam na 9ª Conferência Estadual dos Direitos das Crianças e dos Adolescentes de Santa Catarina.

Confira abaixo:

“Espero aprender bastante, que seja colocado em pratica as propostas aqui discutidas”. Suiane, 15 anos, Brusque.

“É necessária a conscientização das pessoas quanto a esse assunto, os colégios ficam em greve e o governo não dá a importância necessária à educação, esquecendo de oferecer um ensino público de qualidade às nossas crianças. Ninguém precisa de cotas, e sim de condições de aprendizado suficientes para disputar em igualdade com alunos provenientes do ensino privado”. Maulina Santos (mãe de adolescente). Florianópolis

“Viemos para a conferência porque estamos revoltadas com a falta de áreas de lazer, afinal não há segurança nesses lugares onde deveriamos nos divertir, e neles circulam pessoas de má influência”. Natália, 15 anos, e Luciana, 13, de Jaraguá do Sul.

“Espero levar todas essas propostas para Brasília”. Juliana, 25 anos, de Guarujá do Sul.

“A conferência é um passo importante para assegurar os direitos das crianças e dos adolescentes”. Alécio Macineiro, 48 anos, de Brusque.

Saiba mais:

O que é 9ª Conferência Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente?


Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *