(português/italiano) Começamos mal

Por: Giovanni Cunico

Desde criança, minha avó me dizia “quem começa bem está já na metade do caminho”. Caso ela tivesse razão, infelizmente, no que se refere à Conferência das Nações Unidas sobre mudanças climáticas, que terá início na segunda-feira em Varsóvia, estaremos muito longe de alcançar um resultado satisfatório.

Logo cedo na manhã de sábado, nós, representantes da Agência Jovem de Notícias, fomos ao Estádio Nacional, onde acontecerá o evento, para obter as credenciais. Superados os controles habituais, nos encontramos no interior do edifício. O impacto foi imediatamente “quente”. No real sentido da palavra. A temperatura no interior do prédio era de pelo menos 25 graus, tanto que, ainda que eu estivesse de camiseta, não suava dessa forma desde a última sauna! Dado que uma das temáticas centrais, sobre a qual negociarão os Estados, será justamente a sustentabilidade, o fato de o evento ter um impacto ambiental de “assassino ecológico” não é certamente um bom cartão de visita. E, infelizmente, não acaba aqui. Foram entregues, em seguida, alguns folhetos relativos à logística. Ok, talvez esperar papel reciclado seria muito, mas certamente se poderia evitar imprimí-los sobre papelão acartonado. Para além da primeira impressão, parece que todo o material distribuído internamente tenha sido feito da mesma forma. Pode parecer um simples detalhe, mas a forma é sempre parte do conteúdo.

Recebido o crachá, necessário para ter acesso aos dias de negociação, fomos convidados a descarregar em nossos telefones o aplicativo oficial do evento. O interessante é que, ao acessar, vem ao centro da tela uma frase que diz “As mudanças climáticas são fenômenos naturais, já acontecidos muitas vezes sobre a Terra.” Será um acaso, mas é exatamente o principal argumento alegado pelos cientistas assim chamados “negociadores”: ou seja, aquele percentual muito pequeno de estudiosos que negam que a mudança climática seja fruto de ações do homem; contra a maioria esmagadora de especialistas (mais de 97%!!!) que é unânime em sustentar o contrário.

Por último, mas não menos importante, durante nosso primeiro olhar para o interior do estádio, notamos uma coisa estranha. Para dizer a verdade, não era muito difícil de notar, já que o “detalhe” é um anúncio publicitário gigantesco situado no centro do ambiente. Não seria nada demais se o patrocinador em questão não fosse “ArcelorMittal”, a maior companhia de estração de aço do mundo. Depois de pesquisas mais aprofundadas, descobrindo que ela financia uma boa parte dos custos de organização (especialmente o fornecimento de estruturas internas) da COP19.

Talvez esses sinais sejam todos coincidências fortuitas, mas como dizia sempre minha avó, “Pensar mal é um pecado, mas muitas vezes, se adivinha.”

 

Versione Italiano:

COMINCIAMO MALE

Por Giovanni Cunico

 Da piccino mia nonna mi diceva sempre “chi ben comincia è già a metà dell’opera”. Nel malaugurato caso (lei) avesse ragione, per quanto riguarda la Conferenza delle Nazioni Unite sul cambiamento climatico, che comincerà lunedì a Varsavia, saremmo molto lontani dal raggiungere un risultato soddisfacente.

Stamane, di buon mattino, noi rappresentanti dell’Agenzia di Stampa Giovanile ci siamo recati presso lo Stadio Nazionale, dove si terrà l’evento, per ottenere l’accreditamento. Superati i controlli di rito, ci siamo ritrovati all’interno dell’edificio. L’impatto è stato subito “caldo”. Nel  vero senso della parola. La temperatura all’interno dell’impianto sarà stata almeno di 25 gradi, tanto che, nonostante io fossi in maglietta, non sudavo così dall’ultima sauna! Dato che una delle tematiche centrali, su cui negozieranno gli Stati, sarà proprio la sostenibilità, il fatto che l’evento abbia un impatto ambientale da “killer ecologico” non è certamente un buon biglietto da visita. Sfortunatamente non è finita qui. Ci sono stati consegnati, istantaneamente, dei volantini riguardanti la logistica. Ok, forse pretendere carta riciclata sarà troppo, ma certamente si poteva evitare di stamparli su cartoncino patinato. Inoltre da un primo sopraluogo sembra che tutto il materiale distribuito all’interno sia realizzato nella stessa maniera. Potrebbe apparire un inutile dettaglio, ma la forma è sempre parte del contenuto.

Ricevuto il badge, che ci servirà per accedere duranti i giorni di negoziazione, siamo stati invitati a scaricare sui nostri telefoni l’applicazione ufficiale dell’evento. La cosa interessante è che appena vi si accede, compare al centro dello schermo una frase che recita “I cambiamenti climatici sono fenomeni naturali, già accaduti molte altre volte sulla Terra”. Sarà un caso, ma è proprio il principale argomento che adducono gli scienziati cosiddetti “negazionisti”: ossia quella piccolissima percentuale di studiosi che negano che il mutamento climatico sia frutto delle azioni dell’uomo; a fronte della stragrande maggioranza di esperti (più del 97%!!!) che è compatta e concorde nel sostenere il contrario.

Dulcis in fundo, durante il nostro primo sopralluogo all’interno dello stadio, abbiamo notato una cosa strana. A dire la verità non era molto difficile da cogliere, visto che il “particolare” era una scritta pubblicitaria gigantesca che campeggiava al centro dell’impianto. Non ci sarebbe nulla di alquanto eclatante se lo sponsor in questione non fosse “ArcelorMittal”, la più grande acciaieria e compagnia di estrazione mineraria del mondo. Dopo ricerche più approfondite abbiamo scoperto che finanzia una buona parte dei costi di organizzazione (in particolare per la fornitura delle sub-strutture interne) della COP19.

Magari questi segnali saranno tutti delle coincidenze fortuite, ma come diceva sempre mia nonna “A pensar male si fa peccato, ma spesso ci si azzecca”.

Evelyn Araripe é jornalista e educadora ambiental. Foi educomunicadora na Viração Educomunicação entre 2011 e 2014. Atualmente vive na Alemanha, onde é bolsista do programa German Chancellor Fellowship for tomorrow’s leaders e administra o blog Ela é Quente, que conta as histórias de vida de mulheres que estão ajudando a combater os efeitos das Mudanças Climáticas ao redor do mundo.

Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *