(Portugués/Espanhol) Super Fulanito na COP18 – día 2

(Português)

Em um país pequeno como o Qatar, alguém pensaria que os engarrafamentos só são coisas de Hollywood. Por isso, quando hoje me vi parado no trânsito por uma hora para percorrer um trajeto de, normalmente, 15 minutos, pensei que estava sonhando. Mas não. Aqui em Doha todo mundo parece ter o seu próprio carro – e recém-saídos da concessionária!

O que é certamente raro de ser ver é um transporte público, se bem que na teoria eles até existem. Desde que eu cheguei em Doha, os únicos ônibus que vi foram os da Conferência transportando delegados para cima e para baixo. Mas, nenhum ônibus local, desses coloridos ou atolados de gente como os que conhecemos na América Latina. Vocês se imaginam andando por uma cidade e não ver nenhum único ônibus? Ou trem? Ou metrô? Mutio raro, não? Mas aqui tudo é muito surrealista.

No dia de hoje aprendi sobre os impactos das mudanças climáticas e as perdas e danos que isso ocasiona. Também entrevistei os experts alemães do GermanWatch, que me contaram sobre a ocorrência cada vez mais frequente de eventos climáticos extremos em diferentes partes do mundo. Fiquem atentos pois em breve subirei mais notícias a respeito.

Na parte da tarde assisti Christiana Figueres e Mary Robinson, duas mulheres incríveis (se não as conhece, por favor, pergunte obre elas ao oráculo do Google). Com falas emocionantes, elas apresentaram uma iniciativa sem precedentes que busca aumentar e promover uma maior participação e igualdade de gênero nas negociações das mudanças climáticas. As mulheres são especialmente e desproporcionalmente afetadas pelos efeitos das mudanças do clima em todo o mundo e merecem uma atenção especial. Vamos mulheres! Só não venham se quiserem roubar as minhas nozes!!!

E como previsto, terminei o meu dia com a entrega do Fóssil do Dia, que ontem foi entregue à União Européia – por querer tomar todo o tempo do mundo para cumprir os seus compromissos – e Turquia, por fingir que está olhando para um lado e se fazer de distraída.

Fiquem comigo! Em breve trarei mais notícias.

 

(Espanhol)

En un país pequeño como Qatar, uno pensaría que los embotellamientos son sólo cosas de Hollywood. Por eso cuanto hoy me vi atorado en el tráfico durante cerca de una hora para recorrer un trayecto normalmente de 15 minutos, pensé que estaba soñando. Pero no. Aquí en Doha todo el mundo parece tener su propio carro – ¡y recién salido del concesionario!.

Lo que es ciertamente raro es ver un transporte público, si bien en teoría lo hay. Desde que llegué a Doha, los únicos buses que he visto son los de la Conferencia transportando delegados para arriba y para abajo. Pero, ningún bus local, de esos coloridos o atorados de gente como los que conocemos en Latinoamérica. ¿Se imaginan andar por una ciudad y no ver ni un sólo bus? ¿o tren? ¿o metro?. Muy raro…¿no? Pero aquí todo es muy surrealista.

En el día de hoy, estuve aprendiendo sobre los impactos del cambio climático y de los daños y pérdidas que éste ocasiona. También entrevisté a los expertos alemanes de GermanWatch, quienes me contaron sobre la ocurrencia cada vez más frecuente de eventos climáticos extremos en distintas partes del mundo.  Estén atentos que pronto subiré mi nota al respecto.

Por la tarde, escuché a Christiana Figueres y a Mary Robinson, ¡dos mujeres increíbles si las hay! (si no las conocen, por favor, pregunten por ellas al oráculo de google). En una charla emocionante, presentaron una iniciativa sin precedentes que busca incrementar y promover una mayor participación y equidad de género en las negociaciones de cambio climático. Las mujeres son especialmente y desproporcionadamente afectadas por los efectos del cambio climático en todo el mundo y merecen una atención especial.  ¡Vamos las mujeres! ¡aunque quieran robarme mis nueces, yo las banco a muerte!!!

Y por supuesto, cerré el día con la entrega del fósil del día, que ayer lo recibieron la Unión Europea – por querer tomarse todo el tiempo del mundo para cumplir sus compromisos – y Turquía, por mirar para un costado y hacerse la distraída.

Quédense conmigo. Pronto siguen más noticias.

 

Evelyn Araripe é jornalista e educadora ambiental. Foi educomunicadora na Viração Educomunicação entre 2011 e 2014. Atualmente vive na Alemanha, onde é bolsista do programa German Chancellor Fellowship for tomorrow’s leaders e administra o blog Ela é Quente, que conta as histórias de vida de mulheres que estão ajudando a combater os efeitos das Mudanças Climáticas ao redor do mundo.

Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *