(português/ English) Povos Indígenas: menos blá blá e mais ações concretas

Por Daniele Savietto, da Delegação Jovem do Brasil na COP19*

Foi com um discurso profundo e apaixonado que Juan Carlos Jintach e Arlen Ribeira Calderon, integrantes da COICA, organização que o Brasil também faz parte através da COIAB, abriram a seção sobre as mudanças climáticas e os povos indígenas da bacia Amazônica, aqui na COP19.

Todos sabem o quanto os povos indígenas já sofreram graças às intervenções do homem “civilizado”, são historicamente marcados por devastações de seu espaço e sua gente, e mesmo hoje, quando possuem direitos legais, continuam sendo afetados pela busca incessante do lucro excessivo que fecha os olhos para os efeitos permanentes em nosso planeta.

A principal questão levantada foi a urgente necessidade de ações imediatas para resolver as consequências dos problemas que vem se acumulando ao longo dos anos. “Chega de falar, queremos ações concretas e imediatas” disse Juan Carlos Jintach.

A crítica ainda estendeu-se sobre a posição das Partes dentro da COP, que chegam aqui para na verdade discutir questões financeiras, sua principal preocupação, e não focam nos problemas reais e palpáveis que estão afetando a todos.

O povo indígena mostrou sua força e determinação na luta por um planeta melhor, não esperam que os problemas sejam resolvidos por terceiros, mas são protagonistas para reverter as mudanças climáticas em seu território, exigem participação plena e efetiva, e mais do que isso, que tudo aquilo que está garantido na lei realmente aconteça na prática.

Disseram ainda que o povo latino americano precisa se unir, principalmente porque a COP20 acontecerá em nossa casa e precisamos cobrar as nações já que muitos temas importantes não estão sendo discutidos.

“Chega de acumular papeis e decisões que não levam a nada, reflexões que nunca terminam, precisamos de ações concretas já! Estamos cansados, queremos voltar a nossa terra, trabalhar, plantar, mas estamos aqui porque reconhecemos nossa responsabilidade.”

Esta luta também é nossa, temos que abraçar nossos irmãos indígenas, envolver-nos emocionalmente, e ir além, realizar ações práticas como atores das mudanças urgentes que todos necessitamos.

 

*A Delegacão Jovem do Brasil na COP19 é composta pelas organizações: Aliança Mundial das ACMsEngajamundo,
Federação Luterana Mundial Viração Educomunicação.

 

English Version

 

Indigenous Peoples : less blah and more concrete actions

By Daniele Savietto, from the Brazilian Delegation at COP19*

It was with a deep and passionate speech that Juan Carlos Calderon Jintach and Arlen Ribeira , members of COICA , the organization that Brazil is also part through COIAB,  opened the section on climate change and indigenous people of the Amazon basin , here at COP19 .

Everyone knows how indigenous peoples have suffered due the interventions of the “civilized” man , are historically marked by the ravages of its space and its people , and even today , when they have legal rights , continue to be affected by the relentless pursuit of excessive profits that closes eyes to the permanent effects on our planet .

The main issue raised was the urgent need for immediate action to address the consequences of the problems that has accumulated over the years. ” Enough talk , we want concrete and immediate actions ” said Juan Carlos Jintach .

Criticism has expanded on the position of the parties within the COP , coming here to actually discuss financial issues , your main concern , and not focus on the real and tangible problems that are affecting everyone .

The Indian people showed their strength and determination to fight for a better planet , do not expect the problems to be solved by others , but are protagonists to reverse climate change in their territory , require full and effective participation , and more than that, it all that is warranted in law actually happens in practice.

They also said that the people of Latin America must unite, mainly because the COP20 held in our home and we need to charge the nations since many important issues are not being discussed.

“Chega de acumular papeis e decisões que não levam a nada, reflexões que nunca terminam, precisamos de ações concretas já! Estamos cansados, queremos voltar a nossa terra, trabalhar, plantar, mas estamos aqui porque reconhecemos nossa responsabilidade.”

This fight is also ours, we must embrace our indigenous brothers , engage us emotionally , and go beyond , perform practical actions as actors of urgent changes we all need.

*The Youth Brazilian Delegation on COP19 is composed by the following organizations: Aliança Mundial das ACMsEngajamundoFederação Luterana Mundial and Viração Educomunicação.

Evelyn Araripe é jornalista e educadora ambiental. Foi educomunicadora na Viração Educomunicação entre 2011 e 2014. Atualmente vive na Alemanha, onde é bolsista do programa German Chancellor Fellowship for tomorrow’s leaders e administra o blog Ela é Quente, que conta as histórias de vida de mulheres que estão ajudando a combater os efeitos das Mudanças Climáticas ao redor do mundo.

Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *