Pátria Amada Brasil

Estar em isolamento social não nos isenta do princípio da responsabilidade com a sociedade que nos travessa.

Por Reynaldo de Azevedo Gosmão

Estar em isolamento social não nos isenta do princípio da responsabilidade com a sociedade que nos travessa.

Uma propaganda realizada pelo governo federal, publicada no dia 22/04/2020, que teve grande repercussão nas redes sociais por demonstrar uma face do atual governo, na qual intitulo como: “o Brasil de brancos”, pois é apresentado em uma propaganda oficial de âmbito nacional, apenas crianças brancas, com o título destaque “Pátria amada Brasil”.

Em uma época de pandemia, onde diversos conflitos econômicos, sociais, psíquicos entre outros são discutidos, o governo federal insiste no apagamento da cultura étnica racial brasileira e as diversidades que atravessam nossa sociedade.

Isso me fez refletir sobre duas questões:

a) qual é a face interna e externa que atravessa nosso simbólico quando tratamos sobre a identidade racial do Brasil?

b) E por que insistimos em um ideal branco? Para ambas questões, me vem a dificuldade de termos consciência de classe.

O poeta Sérgio Vaz faz uma provocação interessante nesse sentido: “o duro é que quando você fala mal da elite, tem gente que ganha 2.000 e pouco e mora na quebrada e acha que você está falando dele. Quer pobreza maior que isso?” O Brasil precisa se reaver com suas diferenças!

O Brasil é um país que a sua maioria é composta por pessoas pretas, mas, o atual governo tenta a todo custo marginalizar a cultura afrodescendente, travestindo-se (utilizando-se) de um discurso religioso, mas que tem em seu plano de fundo um ideal fascista e racista, onde a diversidade não tem visibilidade.

A aposta do governo federal é feita na coletividade, a qual para ele, não existem diferenças, nem diversidade.

A crise pandêmica da Covid19, além de acometer o pulmão dos sujeitos doentes, está arriscando o fôlego que já é precário da efetivação das políticas públicas de direitos humanos no Brasil, principalmente no que tange às políticas de diversidades, raciais, gênero e de classes.

Esta imagem é a peça publicitária do governo federal.

Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *