Participação da juventude na Rio+20 é um dos temas do encontro sobre educação e sustentabilidade

Elisangela Cordeiro e Sabrina Martins, jovens educomunicadoras, no Rio de Janeiro (RJ)

O terceiro dia do Encontro de Juventude e Educação para a Sustentabilidade Socioambiental, na quinta-feira, 14, iniciou com muita animação puxado pela turma da Agência Jovem de Notícias, que aqueceu os participante em uma grande roda com ritmos populares. Participantes de cada Estado presente mostraram um pouco de sua cultura. A grande roda foi finalizada um com tore tradicional dos movimentos sociais.

Seguindo a programação oficial, logo foi composta uma mesa de debate, que contou com a presença de Marcos Rodrigo, do Coletivo Jovem (CJ) de Sergipe, Bianca oliveira, do Rejuma, Ângela Guimarães, presidenta do Conselho Nacional de Juventude (Conjuve), Severina Macedo, Secretaria Nacional de Juventude, Luciana Phebo, do U- UNICEF e Claudia Pereira, da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão do Ministério da Educação.

Marços inaugurou as falas apresentando o CJ e a diversidade do coletivo nas diferentes regiões do Brasil. Cobrou das representantes do governo o cumprimento das propostas apresentadas na  2ª Conferencia Nacional de Juventude, a implementação do programa Juventude e meio ambiente.

Ângela Guimarães, presidenta do Conselho Nacional de Juventude (Conjuve) observou a composição da mesa, na sua maioria mulheres, e frisou a importância da figura feminina nos espaços políticos. Contou que desde o dia 7, quando começou Youth Blast – Conferência Internacional de Jovens para a Rio+20, os conselheiros da juventude tem acompanhado as diversas discussões: “esse é mais um espaço, foi construído para o diálogo e aproximar os diferentes coletivos para conseguimos fazer avanços em torno das políticas de juventude e meio ambiente. Trouxe uma preocupação, que a juventude ainda é pensada como futuro e  não agora, no presente.

Luciana Phebo, do UNICEF, apresentou as principais metas do Fundo das Nações Unidas para a Infância e o que a organização tem feito no Brasil para garantir o desenvolvimento e a proteção de crianças, adolescentes e jovens. Ressaltou a importância dos jovens estarem presente nos debates nacionais. “O jovem ainda acredita na mudança, ele é generoso com o mundo. Isso é fundamental para contaminar nos outros segmentos da sociedade”, disse.

A secretária nacional de Juventude, Severina Macedo, ressaltou a importância dos espaços de diálogo entre sociedade civil e governo. “Esse seminário soma hora governo, hora sociedade civil”. Esses espaços são fundamentais para pactuar consensos e construir políticas, em complemento a uma fala do Marcos, do CJ, e finalizou: “a Secretaria de Juventude neste momento está mobilizando um GT interministerial para conversar sobre as pautas e agenda da juventude e assim implementar as propostas apresentas na 2ª Conferencia Nacional de Juventude.”

 

Ver +

1 Comentário

  • Parabéns pela reportagem!… A Viração Educomunicação, a Agencia Jovem de Notícia, e a todos os coletivos que hoje compõem a RENAJOC, parabéns pelo excelente trabalho.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *