Parlamento Jovem divulga carta sobre realização do Enem

Documento denuncia a negligência do governo em lidar com o avanço da pandemia e na manutenção da realização do Exame Nacional do Ensino Médio em meio ao caos sanitário provocado pela Covid-19

Os Deputados Federais Jovens do Parlamento Jovem Brasileiro 2020, junto com outras organizações, pessoas públicas e indivíduos da sociedade civil, assinam esta carta denunciando a negligência do governo federal para com a pandemia imposta pela COVID-19 e pelo não adiamento do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM).

A atuação do governo federal na condução de estratégias e na criação de políticas públicas para conter o avanço do Covid-19 e o aprofundamento das desigualdades que castigam os brasileiros é desastrosa.

Altos índices de desemprego, falta de recursos básicos de higiene e proteção, a recusa em retomar o projeto do auxílio emergencial, as dificuldades enfrentadas por estudantes de baixa renda e regiões periféricas para manter as atividades escolares num ano assolado pelo isolamento social e pelo avanço descontrolado do coronavírus, o colapso do sistema de saúde em Manaus (e que avança para a mesma direção em todas regiões do país) torna insustentável a realização do Enem 2020 nas datas elencadas pelo Ministério da Educação.

Diante dessa situação de colapso, um grupo de deputados federais jovens do Parlamento Jovem Brasileiro 2020, juntamente as organizações e pessoas públicas elaboraram uma carta aberta para repudiar o posicionamento do atual governo e a negligência do Ministério da Educação em realizar as provas do Enem diante dessa situação alarmante.

Madeleine Moreira, deputada federal jovem do Rio de Janeiro pelo Parlamento Jovem Brasileiro 2020/2021, falou sobre a iniciativa: 

Como o PJB é um importante projeto de educação pela democracia proposto pela Câmara dos Deputados do Brasil, nós parlamentares jovens, motivados por esse preocupante momento de crise sanitária, redigimos uma carta aberta manifestando nossa insatisfação com as medidas tomadas pelo governo Bolsonaro no combate da COVID-19. Manaus está em crise. Pessoas estão morrendo por falta de oxigênio. O restante do país agoniza. A data de realização do ENEM se mantém, mesmo com todos os estados em situação de vulnerabilidade pela pandemia. Precisamos intervir e dizer chega.

Segundo a carta aberta, a única ação urgente para o momento é impedir a disseminação do vírus:

Se o contexto geral é altamente preocupante, torna-se ainda mais urgente reagir e impedir a disseminação do vírus, do negacionismo científico e da eufemização da situação em todo o Brasil, pois essa situação vêm sendo construída de forma sistemática, sendo corroborada por um governo que não defende a vida da população, atenta constantemente contra a saúde pública e ameaça de forma alarmante seus direitos mais básicos.

Leia a carta aberta na íntegra clicando aqui.

Imagem mostra três jovens segurando cadernos e bolsas usando máscaras de proteção contra covid-19, ao ar livre.
Imagem: Inep.

Sobre o primeiro dia de provas

A primeira prova, aplicada na tarde de ontem (17 de janeiro), teve índice recorde de abstenção: 51,5% das pessoas inscritas não compareceram aos locais de prova. Segundo o ministro da educação, Milton Ribeiro, a realização do exame em meio à pandemia teria sido “vitoriosa”. Apesar de relatos de jovens que foram impedidos de fazer a prova pela lotação das salas, que só poderiam receber até 50% da capacidade total, o presidente do Inep, Alexandre Lopes, ressaltou que a aplicação foi “tranquila do ponto de vista da saúde sanitária.”

Consulte aqui a página que lista as medidas de prevenção ao coronavírus para o Enem

Ano passado, antes de o ministério definir as novas datas de provas, foi lançada uma enquete para que os estudantes opinassem sobre o melhor mês para a realização do Enem. Apesar de a opção mais votada ter sido o mês de maio, o ministério agendou as provas para janeiro de 2021.

Seguindo o calendário, no próximo domingo, 24 de janeiro, será realizada a segunda prova, composta de 45 questões de Ciências da Natureza e 45 de Matemática. Candidatas e candidatos diagnosticados com Covid-19 e outras doenças contagiosas podem agendar a reaplicação das provas. Está programada ainda a aplicação do Enem Digital, entre os dias 31 de janeiro e 7 de fevereiro.

Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *