PARA LER E OUVIR: “Erradicação do trabalho infantil é um imperativo moral”, diz Dilma

Por Hilamy Mar Moreira, 16 anos, e Marco Antônio Gama, 16 anos, adolescentes comunicadores em Brasília (DF)

Educomunicadores: Bruno Ferreira e Rafael Silva / Foto: Wesley Bizzol, de 17 anos

“Esse evento representa o fortalecimento e globalização do tema Trabalho Infantil. Devemos às crianças uma infância sem violência, sem medo e sem exploração, com educação. E aos que vão nascer, uma vivência plena dos direitos. A erradicação exige compromisso de todas as nações e somente será possível com ações articuladas dos países que estão aqui”, disse a presidenta Dilma no começo de sua fala, após as boas-vindas.

Ela ainda destaca que 11% da população mundial de crianças são vítimas e trabalho infantil, dizendo que sua erradicação é um imperativo moral, pois elas são “o segmento mais indefeso da sociedade”. Ela ainda reforça que, ainda nos dias de hoje, todas as regiões do planeta, ricas ou pobres, ainda têm o trabalho infantil como problema a ser superado.

A presidenta destaca ainda que entre 2000 e 2012, o Brasil reduziu em 67% o número de crianças, de cinco a 12 anos, vítimas de trabalho infantil, em razão de políticas governamentais da última década de transferência de renda e universalização do acesso à educação, em especial do ensino fundamental. “As crianças devem estudar para evitar o ciclo da pobreza. Esse é o caminho que leva à superação da miséria”, afirmou Dilma, que ressaltou os planos do governo de manter o interesse dos adolescentes interessados pela escola, como a ampliação de cursos técnicos e profissionalizantes para que os mais jovens não ingressem antecipadamente no mercado de trabalho.

Em sua fala, Dilma ainda repudia a pornografia infantil e o tráfico de crianças e adolescentes para a exploração sexual, reforçando a necessidade de coibir a ação de pessoas que violam os direitos da infância e adolescência. Ela destaca a ação do Brasil em 15 cidades que fazem fronteira com outros países da América do Sul.

No final de sua fala, Dilma cita uma frase da fundadora da ONG Save the Children, que afirma que “há apenas uma linguagem universal: o choro da criança” e que, por esse motivo, “temos que responder em uníssono à necessidade de erradicar o trabalho infantil no mundo”.

Presidente da OIT elogia o Brasil

Antes mesmo da fala da presidenta Dilma, o presidente da Organização Internacional do Trabalho, Guy Ryder afirmou que o Brasil serve de inspiração à comunidade internacional na erradicação do trabalho infantil. Ele afirma a necessidade deste evento ser ambicioso na discussão da erradicação do trabalho infantil, sobretudo das piores formas. O presidente da OIT destacou ainda que, atualmente, 168 milhões de crianças trabalham ao redor do mundo, sendo metade desse número nas piores formas. “Há 168 milhões de razões para estarmos aqui”, afirmou Ryder.

Apesar do número alarmante, ele afirma que houve uma redução significativa de crianças, em âmbito global, trabalhando desde 2000, desde quando houve uma redução de 78 milhões de crianças nesta situação.

Guy Ryder afirmou ainda a necessidade de reafirmar o compromisso de erradicar as piores formas de trabalho infantil dentro da meta e estimula os Estados que ainda não aderiram à Convenção 182 da OIT, que dispõe sobre a proibição das piores formas de trabalho infantil, a somarem esforços em sua erradicação.

Ouça a seguir mais um boletim feito pelos adolescentes participantes da Conferência:

 

 

 

 

Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *