Paquera virtual: Conheça 7 aplicativos de relacionamento alternativos

Por Julia Sousa Araujo, da Agência Jovem de Notícias em São Paulo

Em meio a era digital, os aplicativos de paquera têm se tornado cada vez mais presentes nos smartphones dos jovens. A maioria dos usuários que utilizam esse tipo de serviço são pessoas entre 18 e 24 anos.

Uma pesquisa feita recentemente pelo CONECTAí Express, mostra que no Brasil, um a cada cinco usuários tem um aplicativo de relacionamento instalado em seus celulares. Isso nos revela que 20% dos internautas buscam por meio da tecnologia novas amizades ou um novo amor.

Tinder, Badoo, Happn e Grindr são um dos mais conhecidos e utilizados. Com dinâmicas de funcionalidade semelhantes, os aplicativos seguem a mesma linha para alcançar o tão esperado ‘match’. Basta dar um ‘like’ no perfil do pretendente e se o ato for recíproco, o par se forma, e assim é possível iniciar um bate papo.

Segundo a psicóloga Valéria dos Santos Cristina Ribeiro, não há nenhum tipo de problema em conhecer e se relacionar com uma pessoa virtualmente, a menos que o vínculo construído não fique somente na web. “Iniciar uma relação pelos meios virtuais não tem problema, é como conhecer alguém em uma festa, na fila de um banco, na escola ou em qualquer outro lugar. A grande questão é que depois de algum tempo essa relação passe para o mundo real, ou seja, que haja encontros físicos.”

Ainda ressalta que é muito importante o convívio físico, para que assim, possa conhecer a outra pessoa por inteiro. “Enquanto se relaciona somente nas telas do computador ou de um smartphone, há a possibilidade de passar aquilo que se acredita ser bom em você. Daí a necessidade da convivência física, onde a pessoa acaba sendo ela mesma, mais autêntica, não conseguindo esconder seus defeitos”, completou.

Com muitas opções disponíveis, para diferentes gostos e públicos, listamos alguns que funcionam de uma maneira diferente e curiosa de tudo o que você está acostumado a usar.

1- Hater: Usando desde situações do cotidiano, até mesmo políticos, o aplicativo tem por objetivo unir pessoas que odeiam a mesma coisa. O serviço apresenta situações em geral e o usuário precisa responder se gostam ou não daquilo. A partir dos interesses incomum, podem se conectar. Disponível para Android e IOS.

2- Cuddli: Conhecido como “Tinder dos nerds”, o aplicativo permite que o usuário coloque em seu perfil cinco ícones de coisas que mais o identificam, como animais, games, computadores, jogos, entre outros. Só então, a partir do interesse em comum o ‘match’ acontece. Disponível para Android e IOS.

3- Waving: O aplicativo permite que os usuários se apresentem um para o outro por meio de pequenos trechos de áudios que ficam disponíveis nos perfis. Com essa dinâmica, acredita-se que fica menos difícil cair em armadilhas, como perfis fakes, já que é possível ouvir a voz da outra pessoa, podendo confirmar sua existência. Disponível apenas para IOS.

4- Bumble: Com uma dinâmica semelhante a do famoso Tinder, o aplicativo possui um diferencial: Somente as mulheres podem iniciar a conversa. Disponível para Android e IOS.

5- Poppin: Diferentemente dos aplicativos que utilizam uma espécie de GPS para encontrar o par ideal, o Poppin utiliza listas de confirmados nos eventos do facebook para que por meio dessa listagem o possível ‘match’ aconteça. Disponível para os sistemas Andoid e IOS.

6- Kifcoff: Para quem está afim de algo mais sério, o aplicativo oferece apenas amigos dos seus amigos, com o rastreamento feito através do Facebook. O serviço disponibiliza uma determinada quantidade de pretendentes por dia, sendo o máximo 10. Junto a isto, ainda exibe algumas características, como religião, emprego e nível de escolaridade. Disponível para Android e IOS.

7- Once: O aplicativo sugere apenas um pretendente por dia. De acordo com as informações disponibilizadas no perfil do usuário, uma equipe de 42 curadores, conhecidos como “matchmakers” selecionam os pretendentes por interesses em comum. Disponível para Android e IOS.

Felipe Oliveira Santos, co-fundador do Poppin, um dos aplicativos citados acima, diz que o intuito da criação do serviço foi para facilitar o encontro entre os ‘matchs’, já que a proposta do aplicativo é formar casais por meio de listas de eventos do facebook. “O modelo é muito legal não só por ser mais prático para conhecer pessoas, mas também porque a situação do encontro também é muito melhor, mais descontraída e propícia para as pessoas se conhecerem”.

Ainda considera que este seja o principal diferencial do aplicativo, fazer com que o processo seja rápido, fácil e principalmente natural. “Poder ver e interagir no aplicativo com pessoas que vão estar nas mesmas festas que você é um benefício muito grande e as pessoas percebem isso quando usam o serviço.”

Agência Jovem de Notícias

Ver +

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *