Alunos da Escola Crescimento

ONU é debate entre jovens na 64ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência – SBPC

Alunos da Escola Crescimento

Texto: Enilson Ribeiro (MA) e Maria do Socorro Costa (MA) | Imagem: Lais Rodrigues (MA), Jovens educomunicadores em São Luis.

Na tarde do dia 24 de Julho, estudantes do ensino médio da Escola Crescimento, MA, ministraram uma roda de conversa no espaço da SBPC Jovem em que debateram sobre a estrutura, funcionamento e temas relacionados à Organização das Nações Unidas – ONU.

A conversa é fruto das experiências do Projeto Simulação da Organização das Nações Unidas para o Crescimento (SONUC), cujo objetivo é fazer com que adolescentes e jovens tenham a oportunidade de compreender os processos decisórios e as questões do direito internacional que circundam a agenda da ONU. O projeto usa o modelo de simulações MUN, que consiste em um formato de diálogo entre países utilizado por órgão ou entidades internacionais para o exercício de “conversas diplomáticas”.

O estímulo para tal ação foi a participação dos estudantes em uma das maiores simulações desse cunho no Brasil, a Simulações das Nações Unidas para Secundaristas (SINUS), realizada por alunos da Universidade de Brasília (UNB). Nela alunos discutem assuntos dos seus respectivos comitês, partindo de temas como direitos humanos até desenvolvimento sustentável.

A participação na atividade inspirou o desenvolvimento do projeto no Maranhão. De acordo com os estudantes, a experiência possibilita a eles pensar e desenvolver um pensamento crítico sobre o atual cenário global. Assim, tomaram a iniciativa de criar a primeira atividade desta natureza no Estado, denominado “Projeto da Simulação da Organização das Nações Unidas para o Crescimento” (SONUC), uma simulação fechada para estudantes da Escola Crescimento.

Entrevista com Fernando Pereira.

Segundo Fernando Pereira, 17 anos, estudante da Escola Crescimento, um dos idealizadores da SONUC “O projeto é uma alternativa à educação tradicional. Todos nós discutimos vários conceitos que geralmente ficam nos livros, que não se traz para nosso dia a dia, o objetivo é trazer estes conceitos para a nossa vida” frisou. Ainda segundo ele, o maior desafio é a dificuldade em lidar com o novo, com novos olhares e com novos desafios, pois como ele pontua, “As pessoas não gostam muito de mudança, mas a mudança é inevitável, e quando apresentamos algo diferente para as pessoas geralmente elas fazem ‘cara feia”.

Os alunos do projeto, em última instância, como um “macro-objetivo”, gostariam de ver um considerável aumento na cultura de realização das Simulações MUN no Maranhão, por isso decidiram apresentar a experiência em um dos maiores eventos cientifico do país.

Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *