Oficina mostra diferentes alternativas para quem curte redes sociais

Por: Adrielly Santos e Luana Viegas

Nesse sábado, 21/05, rolou a oficina de Pedro Jatobá sobre soft livre. “ A internet é uma vitrine para quem não tem vitrine no Brasil”, disse Pedro, que explicava como fazer bom uso dela. Na oficina ele apresentou o Linux Ubuntu, algumas pessoas já conheciam, nem que seja de nome, e Pedro falou da sua preferência por essa plataforma em relação ao Windows.

Pedro esclareceu a melhor qualidade do Linux. Alguns participantes deram suas opiniões em relação ao Linux por acreditarem que este é mais difícil do que o Windows, mas de acordo com a explicação de Pedro, isto é questão de costume.

O ponto principal da oficina foi a apresentação do site iTEIA, que é uma plataforma para publicar na internet a arte dos Pontos de Cultura de todo o Brasil. Além de qualquer pessoa poder acessar o site e publicar seus conteúdos sendo cadastrados, o iTEIA não se apropria dos direitos autorais publicados, como o Youtube.

Dica de Pedro Jatobá: “Se você posta seus conteúdos no Youtube, Facebook e outras redes sociais, a dica é colocar apenas alguns segundos do seu material nestas redes e deixar o link do site desejado (ex: iTEIA), para que automaticamente quem está assistindo vá para o outro site. Assim, o seu conteúdo será mais divulgado e seus direitos autorais reservados”.

Na prática os participantes da oficina se cadastraram no site I-TEIA. Se você também quiser se cadastrar entre no site www.iteia.org.br e mostre o melhor de si.

Ver +

1 Comentário

  • Salve Educomunicadores da Revista Viração! Parabéns pela cobertura da TEIA OESTE SP! Fiquei mto feliz de encontrar a matéria da Luana e da Drikah sobre a oficina de acervos digitais e software livre do Pontão iTEIA. Gostaria de aproveitar o espaço também para uma correção o Youtube não se apropria dos direitos autorais. O usuário ao aceitar os termos de uso do YouTube cede uma licenca mundial isenta de royalties para reprodução e criação de produtos derivados (coletânias, produtos tematicos) para qualquer formato de midia e que pode ser sublicenciada (repassada a terceiros) não apenas para divulgação do youtube (ou seja para qualquer finalidade).

    O movimento de cultura digital brasileiro não considera que esta seja uma licença adequada para reger o rico acervo dos pontos de cultura que pode e deve ser fruto da sustentabilidade destes grupos. Defendemos o uso de licenças livres e queremos que o Google caso deseje usar nosso conteúdo tenha que limitar seu poder a mesma licença que todos os demais.

    Ao hospedar nos grandes portais atuais (regidos por licenças semelhantes) cedemos licenças especiais para hospedagem para estas empresas e liberamos o conteúdo para os demais membros do globo (conhecidos como usuários).

    A luta é que esse acervo fique em servidores no Brasil e sejam utilizados em plataformas livres, em licenças livres e não sejam apropriados por nenhum grupo. Para isso temos a nossa própria licença de uso. (http://www.iteia.org.br/termos).

    Na página do programa cultura viva (http://www.cultura.gov.br/culturaviva) temos outras plataformas digitais que hospedam textos, imagens e também conteúdos multimídia como o Estúdio Livre (www.estudiolivre.org)

    A luta pela não apropriação da produção multimidia da cultura popular brasileira por empresas estrangeiras de transmídia é apenas uma das bandeiras do Pontão iTEIA.

    Quem quiser conhecer outras abaixo está o link para a apresentação da plataforma na mesa Distribuição em Redes e Mídias Móveis realizada no Seminário Interfaces Digitais Colaborativas na UFRJ: http://www.iteia.org.br/audios/distribuicao-em-redes-e-midias-moveis

    Estamos em conexão
    []’s e Axé
    Jatobá

    “Um passo a frente e você não está mais no mesmo lugar…”
    Chico Science

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *