Oficina de Compostagem – Parque da Juventude

por Gisella Hiche

A oficina de minhocário foi uma das mais concorridas no Parque da Juventude. Mas afinal, por que os jovens estavam tão interessados em aprender a montar um minhocário em casa? E antes de mais nada, o que é um minhocário?

Um minhocário é “um sistema de reciclagem dos resíduos orgânicos onde minhocas e microorganismos transformam restos de alimentos em adubo de excelente qualidade”, conforme nos informa o site moradadafloresta.org.br.

Para nos ensinar a montar um minhocário em nossas casas, contamos com a presença de Ricardo Thaler que descreve-se em seu blog como: “Permacultor* consciente, busco disseminar técnicas milenares de cuidados com a terra sem os abusivos preços de mercado. Pretendo mostrar que ser sustentável é fácil, simples e barato.”

Ricardo mostrou-nos como com três baldes de 15 litros com tampa, desses que podemos arranjar em alguma lanchonete, podemos criar um pequeno sistema em que todas as cascas, alimentos crus, restos de frutas e verduras podem virar terra- adubo. Neste sistema os baldes são empilhados (veja modelo e maiores explicações no site do Ricardo www.cadicominhocas.blogspot.com). Os dois baldes que ficam em cima comportam até 20 quilos de restos, pois neste cálculo, levamos em conta que os alimentos lá depositados vão perder água. O balde que fica embaixo armazena o xurume, que é aquele líquido que os alimentos soltam em seu processo de decomposição.

Para facilitar, Ricardo recomenda que o lixo orgânico pode ser inicialmente armazendao em um baldinho na cozinha. Quando estiver cheio, é bom picá-lo em pedaços menores e levá-los para a área de serviço, lavanderia ou outra área da casa que seja mais ventilada, abrigando melhor o minhocário.

No balde de compostagem, estes pedaços picados devem ser misturados com serragem cavaco ou folhas bem secas. Borra de café seca também ajuda no processo além de evitar mau cheiro. Este composto deve ser remexido uma vez por semana. Quando o processo estiver avançado e não estiver mais quente, as minhocas são introduzidas e ajudarão no processo de decomposição. Não é recomendado jogar carne, alimentos cozidos, óleo, alimentos cítricos e cebola. Sal também é ruim para as minhocas.

Muitas pessoas animam-se em praticar a proposta de reduzir ao máximo sua produção de resíduos. Neste sentido a composteira contribui muito porque passamos a acompanhar de perto todo o processo de decomposição dos resíduos orgânicos. Ganhamos novas tarefas no dia-a-dia como a de separar cuidadosamente o lixo que produzimos, levar cascas e alimentos crus para a composteira, mexer esta matéria uma vez por semana, tirar o churume que se acumula no fundo do sistema, espalhar o adubo que produzimos por nosso quintal ou pelos jardins da cidade. Essas etapas cotidianas modificam nossos padrões de consumo. Pensamos duas vezes antes de comprar, por exemplo, uma bolacha, que vem embalada em mil e um pacotinhos individuais, cada um gerando mais e mais lixo que levará milhões de anos para se decompor. Passamos a dar preferência para alimentos mais in natura como frutas, verduras e vegetais.

E no caso do Ricardo, parece até que ele ganhou mais uma multidão de amigos que são as minhoca!

*A Permacultura oferece as ferramentas para o planejamento, a implantação e a manutenção de ecossistemas cultivados no campo e nas cidades, de modo a que eles tenham a diversidade, a estabilidade e a resistência dos ecossistemas naturais. Alimento saudável, habitação e energia devem ser providos de forma sustentável para criar culturas permanentes.

No centro da atividade do permacultor está o design, tomado como planejamento consciente para tornar possível, entre outras coisas, a utilização da terra sem desperdício ou poluição, a restauração de paisagens degradadas e o consumo mínimo de energia.

(conceito tirado do link: http://www.permear.org.br/2006/07/14/o-que-e-permacultura)

Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *