Nem só de Português e Matemática vive o estudante …

Nem só de Ciência e Tecnologia vive a 64º Reunião Anual da SBPC! Na noite desta última quinta-feira, dia 26 de julho, a SBPC Cultural (programação com atividades artísticas que ocorre em todas as noites do evento), contou com a apresentação do Coral Liceu Maranhense.

O Coral é um projeto idealizado pela professora de Língua Portuguesa, Núbia Maranhão, e neste ano completou 6 anos de existência. Para reger o coral, a professora Núbia conta com o apoio de seu esposo, Alan Ribeiro – músico e graduando do curso de Fonoaudiologia, onde pretende se especializar em Estética Vocal.

Esse projeto surgiu dentro do Centro de Ensino Médio Liceu Maranhense, importante escola estadual do Maranhão que nesta semana completou 174 anos e por onde já passaram figuras ilustres como o presidente do Senado Federal, José Sarney, a famosa cantora Alcione de Nazaré e o escritor José Tribuzi Pinheiro Gomes, mais conhecido como Bandeira Tribuzi.

Em entrevista, Alan, o regente, nos contou que o coral é composto por alunos, ex alunos, convidados e pessoas da comunidade. Dessa maneira, o número de integrantes não é fixo, pois a rotatividade é alta. Disse ainda que a motivação dos mesmos em participar do coral parte pela paixão que adquirem em cantar, e que há muita harmonia na convivência entre os integrantes do grupo.

Interrogado a respeito da posição da diretoria da escola em relação ao Coral, Alan nos conta que não há incentivo, apesar de não haver também empecilhos impostos pela direção da escola (Leia a resposta da escola no comentário abaixo do texto). Ele relatou que o projeto desenvolvido gerou importantes resultados na vida pessoal e estudantil dos alunos e que a professora Núbia guarda uma série de depoimentos escritos de coristas e seus responsáveis que comprovam isso.

Fomos então conversar com a professora Núbia, que nos disse que ao longo dos anos o Coral não só formou uma mentalidade nova nos participantes como também abriu novos cominhos na vida dos mesmos. Inclusive há estudantes de música que tiveram seu primeiro contato com arte por meio do coral e gente que hoje atua como regente de coral em Brasília.

Ela também comentou que o coral sente falta de mais apoio do corpo docente da escola e maior reconhecimento por parte da Secretária de Educação, pois é um grupo que possui grande visibilidade pelo trabalho desenvolvido, tendo já se apresentado na presença de ministros e governadores de estado.

É sempre importante ressaltar e valorizar as atividades extra-curriculares que garantem aos estudantes o direito à experimentação e mostram a interdisciplinalidade dos conteúdos vistos em sala de aula. Nem sempre estas atividades exigem recursos financeiros, mas reconhecimento por parte daqueles que se encontram no contexto escolar como pais, professores, diretores, coordenadores e alunos.

A bela apresentação do coral encerrou com a peça Oração Latina,de César Teixeira, que possui um arranjo especial feito por  Nonato Teixeira, cedido exclusivamente para o Coral Liceu Maranhense.

 

Texto: Stephany Pinho (MA) | Imagem: Victor Freire (MA), jovens educomunicadores em São Luis (MA)

Ver +

9 Comentários

  • Sou cantor deste coral a 5 anos (fui estudante do Centro de Ensino Liceu Maranhense e atualmente sou acadêmico de Enfermagem pela Universidade Federal do Maranhão) e decidi entrar não só pelo arte do canto coral e da musica mas também pelo reconhecimento dos coordenadores do grupo( regente e coordenadora e preparadora vocal)que além de vestirem a “camisa” do projeto Coral na escola, vestiram a camisa do Liceu Maranhense, levando o nome da escola em TODAS as apresentações em que comparecemos. Nossa viagem (apenas 1 à Teresina em 2008) aconteceu na gestão passada a atual sendo que o próprio gestor antigo afirmou que a colaboração feita para o coral não veio da escola e partiu de seu próprio dinheiro. Aos lanches que precisamos quando tínhamos duas apresentações (que foram 4 vezes), três delas foram na antiga gestão e apenas uma fora na atual sendo que nesta ainda tivemos dificuldades para conseguir o lanche(alguns cantores só conseguiram compraram fora da escola. As cantatas natalinas (aconteceram 3)TODAS foram de iniciativa do grupo e da coordenadora (afirmo porque participo dessas questões além de quem todas as apresentações eram marcadas de acordo com a decisão do grupo), sendo que a própria coordenação da escola encontrava dificuldades para realização das cantatas de natal. Enfim, tudo isso que afirmo, foi uma construção que aconteceu com minha vivencia no grupo. Nossa realidade e por mais de dificuldades que enfrentamos SEMPRE nós levamos o nome da escola com muito orgulho e amor ao nosso trabalho. Uma pessoa que afirma com total coerência é porque tem um fundamento instaurado em uma vivencia real, assim como alguns amigos já fizeram em comentários neste blog. Além de que esse trabalho feito pelo regente e pela coordenadora (que nunca pediram 1 centavo para realiza-lo) aconteceu com muito esforço e dedicação e o principal: amor!

  • Acho q o único ali q gostava do coral era “Raimundão”,
    ele sempre quis nos ver cantando,enquanto ao resto nos tratavam ate pior do q tratam os próprios alunos,e eles vem dizer q sedem uma sala pra gente, grande coisa, é o minimo q deviam fazer, nos levamos o nome da escola, é mais do que justo termos uma sala pra ensaiarmos, até porque provavelmente ela estaria abandonada la sem funcionalidade nenhuma, assim como muitos dos laboratórios do liceu q nunca foram utilizados.
    honestamente o liceu não merece nenhum elogio pelo coral, porque se hoje somos aplaudidos de pé em muitas de nossas apresentações não eh graças ao C.E.M. Liceu Maranhense, e sim a Alan Ribeiro e Núbia Maranhão q sempre nos apoiaram e incentivaram, e ao nosso próprio esforço que por sinal nunca foi reconhecido pela instituição.

  • Sempre teve apoio ?
    Faço parte do coral há 5 anos, entrei quando estava no 1º ano do ensino médio, hoje sou academica de enfermagem e por esse tempo que participo posso dizer que o que a gente menos tinha era apoio da instituição. Poucas vezes nossas solicitações eram atendidas .
    Lembro que há 3 anos atrás, entreguei nas mãos do atual diretor da escola um abaixo-assinado com assinaturas de todos os coristas solicitando um simples ventilador pra sala de ensaio,( Isso depois de inúmeros pedidos da nossa coordenadora ), já que a sala só tinha um que mal funcionava para cerca de 50 alunos que ali ficavam. Tivemos resposta ? NÃO
    As apresentações que a escola solicitava eram feitas em cima da hora, e os cancelamentos( por parte do Liceu) eram da mesma forma
    O ‘apoio’ que os gestores dão é tão grande, que em 6 anos de existência, o nosso regente faz um trabalho voluntário, sem ganhar nenhum tipo de remuneração
    Os músicos que nos acompanham em algumas apresentações, também não ganham nada da escola
    Agora a instituição vai providenciar uma nova estrutura e ‘profissionais da área’ ? ( É uma piada?)
    Pra mim, apoio significa mais que uma ‘sala exclusiva’
    Recebemos muito apoio sim, mas do nosso regente Alan Ribeiro e da nossa coordenadora Núbia Maranhão, que sempre fizeram de tudo para que esse grupo, em meio a tantas dificuldades, não deixasse de existir .

  • há três anos sou corista.E nesses três anos eu acompanhei de perto a condição da nossa sala e a falta de apoio ao coral.nós automaticamente sempre fomos independentes,justamente por essa falta de apoio da instituição.tudo que conseguimos foi graças a nosso esforço,e ao esforço do nosso mestre alan,além da professora núbia.
    confesso que,até hoje tenho um grande orgulho de ter passado pela instituição e carregava sempre
    o nome do coral com respeito e gratidão até porque fui exemplar tanto como estudante,tanto como corista.disso ninguem da própria instituição pode negar.mas algumas coisas que foram afirmadas pela instituição,ao qual tenho grande carinho e atenção,foram totalmente obsoletas.deixo-me bem clara que isso entristeceu a todos nós,até porque passou a sensação de auto mérito,o que não é verdade.como corista tomei a posição de defender o coral,ao qual faço parte,e que tanto amo.Isso não é amor só por um grupo,não é uma daquelas uniões bonitas e supérfluas que se desfazem rapidamente.não estou aqui por modismo.e canto coral não é modismo.
    amo tambem minha escola mas essa posição foi uma posição arrogante e infeliz.
    isso foi basicamente “tomar mérito” por nosso esforço.alias meu esforço de 3 anos foi entendido como
    um crédito fútil da instituição,que não entendeu o esforço,tanto de mim,quanto dos meus amigos e
    do meu mestre.

  • Participei do Coral Liceu Maranhense desde 2006 ate um ano e meio atras, e lamento muito ter me afastado desse maravilhoso trabalho, gostaria de acrescentar que o trabalho que esse casal realisa é ispirador e motivador para todos que participam e participaram desse grupo e se hoje eu curso musica, sou professor e ja tenho experiecias como regente eu agradeço à motivação que tive deles (Alan R. e Nubia S.) e dos amigos coralistas e acho que essa reportagem leve a uma comunicaçao melhor entre as partes supracitadas e que tudo melhore e que trabalho não morra na praia. Obrigado a todos

  • Isso mesmo Júlia. Uma única viagem para Teresina(PI) em 2008, ou seja, na gestão anterior do da escola. Recentemente só 10 partituras disponibilizadas para um grupo de 60 coristas, ou muitas das vezes a resposta de que não seria possível tirá-las. E com o tempo nos passamos a ser independentes e providenciar essas partituras com o dinheiro de Alan, Núbia e Coristas. Confraternizações fizemos várias, todas com o suor das nossa apresentações. Tudo que construímos hoje foram com grandes esforços de Alan, Núbia e todos os coristas que já passaram desde 2006 pelo grupo.

  • Participei durante quatro anos do Coral Liceu Maranhense, entrei no coro no meu primeiro ano de ensino médio e tive um encontro maravilhoso com tudo que um grupo sólido como este coral pode me oferecer.
    Fico muito feliz em saber que o Coral mas uma vez encantou com mais uma de suas belíssimas apresentações, por outro lado a falta de reconhecimento da Instituição de Ensino Estadual é lamentável, como podem dizer que sempre deram todo apoio e que nos como coristas quase nunca atendíamos aos convites da secretaria? Quantas vezes recebemos convites em cima da hora exigindo músicas que já mais havíamos ensaiados para apresentar praticamente no dia seguinte?. E nos ali no horário de almoço ensaiando para mostrar o trabalho que não era nem do regente nem mesmo da coordenadora mas sim da secretaria de educação.
    Sim trabalho da Secretaria de Educação do Estado do Maranhão!!Esta que nunca nos deu apoio algum, que nunca perguntou quais as necessidades que o coral passava, o mesmo só era lembrado para mostrar a governantes o belo trabalho do Estado.
    Hoje acredito que esse é um desabafo de todos os alunos que passaram pelo Coral Liceu Maranhense e que assim como eu lamenta lê depoimentos como esse que a atual diretoria sem pudor algum tem a coragem de postar.
    O Coral Liceu Maranhense sempre contou com as migalhas que a diretoria cedia, há mas de dois anos pedimos um ventilador para a sala na qual ensaiamos no horário de almoço dos alunos e ate o dia de hoje tudo não passou de promessas.
    Deixo bem claro que as viagens a qual o diretor da escola se refere não existiram pois ate o dia de hoje só houve uma unica viagem sim uma unica no singular e não no plural como foi dito.
    Muito bonito expor o trabalho de Alan e Núbia e de mas de 40 coristas e dizer que o trabalho e mérito é todo seu.

  • Sou, atualmente, a integrante mais antiga do coral. Participo do mesmo desde junho de 2006(mesmo ano que completei o ensino médio na instituição,agora sou graduanda em letras da UFMA), então posso dizer que enfrentei e sei de todos os detalhes vividos pelo coral Liceu Maranhense. E com convicção afirmo que se alguma vez deixamos de nos apresentar a pedido da escola ou da secretaria de educação foi pelo simples motivo de termos sido chamados em cima da hora, geralmente á no máximo uma semana antes do evento proposto e muitas vezes exigiam-nos que cantássemos músicas que não estavam em nosso repertório, o que se tornava inviável a nossa participação. Muitas vezes ensaiávamos arduamente, mas 2 dias antes cancelavam nossa participação. Sempre que fizeram-nos convites de se apresentar na instituição, o fizemos, mesmo debaixo de sol. Não posso negar que temos algumas solicitações atendidas, mas são mínimas. No momento estamos com um ventilador precário em funcionamento na sala de ensaio do coral e já foram feitas várias solicitações para resolver o problema e até o presente momento não foram atendidas.
    Esses são só um dos poucos problemas enfrentados pelo grupo “Coral Liceu Maranhense”. E se até hoje participo dele é por incentivo de Alan, Núbia e os outros coristas, que transformaram esse trabalho em um lugar repleto de respeito, carinho, amor e compromisso com a arte do canto coral, uma verdadeira família que tenho muito orgulho em dizer que faço parte.

  • Gostaríamos de esclarecer alguns pontos levantados pela matéria. O grupo de coral intitulado “Liceu Maranhense” coordenado pela professora Núbia Soares de Lima, funcionária desta instituição, sempre teve apoio dos gestores do Liceu, desde o início das atividades em 2006. No entanto, sempre manifestou dificuldade de relacionamento com o corpo docente e com a própria secretaria de educação. Quando solicitados para eventos oficiais da secretaria e mesmo eventos da escola(cantata natalina),quase nunca se dispuseram a atender. O coral utiliza uma sala exclusiva na escola para seus ensaios, todo o material gráfico (partituras) são fornecidos e sempre que solicitam recursos para lanches e viagens são atendidos. O que é necessário e urgente é integrar o coral verdadeiramente à escola. Já está sendo contactado e providenciado uma nova estrutura com profissionais da área.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *