Missionários combonianos lançam cartilha contra racismo

No Ano Internacional dos Povos Afro-descendentes, escolhido pela Organização das Nações Unidas (ONU), e no mês da Consciência Negra, a luta contra o racismo ganha mais um reforço – a cartilha “Brasil Negro – Pílulas de aprofundamento para enfrentar o racismo no Brasil”, recém-lançada pelo Missionários Combonianos no Brasil Nordeste.

Em formato digital, com linguagem e diagramação leves, a produção de 19 páginas é fruto das reflexões do grupo Ecoos sobre as temáticas História do racismo no Brasil; casos de racismo; reflexão sócio-antropológica sobre a prática do racismo; legislação e dados sobre a questão racial; racismo na dimensão religiosa; o povo negro e a Bíblia; a beleza afro amada por Deus; e próximos passos para a luta contra o preconceito.

De acordo com o padre Arturo Bonandi, coordenador do Centro de Pastoral Afro “pe. Heitor Frisotti” (Cenpah), com sede em Salvador (BA), o trabalho teve início ainda em junho e os textos foram construídos individualmente, porém a partir de contribuições e debates coletivos.

“A ideia da cartilha surgiu com o ano da ONU e da nossa orientação, como província, de ter como eixo principal Justiça e Paz. Além das atividades que já desenvolvemos e de uma carta que lançamos no início do ano, sentimos a necessidade de tratar o tema, de muita importância, mas que ainda não é bastante debatido no Brasil”, declara pe. Arturo.

Ele avalia que, atualmente, o grande problema enfrentado pela população negra no Brasil é a invisibilidade. “Na política, na mídia e na representação, o negro não aparece. E não aparecer significa que, em questões concretas, é como se o problema do racismo, a realidade, não existisse”, assinala.

A cartilha Brasil Negro – Pílulas de aprofundamento para enfrentar o racismo no Brasil está disponível no site do Ecoos, no link http://pt.scribd.com/doc/72238611/Cartilha-Racismo-Miss-Combonianos

Fonte: Adital

Evelyn Araripe é jornalista e educadora ambiental. Foi educomunicadora na Viração Educomunicação entre 2011 e 2014. Atualmente vive na Alemanha, onde é bolsista do programa German Chancellor Fellowship for tomorrow’s leaders e administra o blog Ela é Quente, que conta as histórias de vida de mulheres que estão ajudando a combater os efeitos das Mudanças Climáticas ao redor do mundo.

Ver +

1 Comentário

  • Legal a cartilha mas seria legal tambe9m se voceas peasstsom alguns kifus.Tipo os melhores kifus do meas tanto de alunos presenciais como de alunos do curso a distancia.Acho que com incentivo os melhores ve3o querer continuar a melhorar e os que ne3o este3o com kifus le1 teria ambie7e3o provavelmente e ajudaria a ir longe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *