Meu DIA DE NÃO COMPRAR NADA foi bom e de graça! – Relato de quem aderiu ao desafio

Dando continuidade à série de relatos de jovens que aderiram ao Dia de Não Comprar Nada, contrapondo o Black Friday – data comemorada na ∑ultima sexta-feira, 29 de novembro, quando lojas físicas e virtuais lançam megas promoções para limparem os seus estoques e estimularem o consumismo desenfreado, agora foi a vez da jovem Leandra Barros, de Vitória/ES nos contar como foi a sua experiência no sábado, 30 de novembro, sem comprar nadinha, mas valorizando o que é mais importante na vida.

Confira:

Meu DIA DE NÃO COMPRAR NADA foi bom de graça! 

Na real tenho isso quase como rotina. Compro muito pouco nessa minha vida. Mas nesse sábado dei mais atenção a isso. Acordei tarde, e meio que me dei mal porque não tinha rolado compra de supermercado, então fui aproveitando o que já tinha em casa pra me alimentar.

Ao invés de comprar suco, eu fiz com a manga que tinha.  Faltou peneira, e ao invés de comprar na loja de 1,99 da esquina preferi coar com a escumadeira. Deu um trabalho danado e resolvi beber o suco com os fiapos mesmo. E tava delicinha! Tinha acabado o adoçante também, então descobri que nem precisava, porque a manga já tava docinha.

Continuei curtindo o dia, assistindo bons filmes que eu tinha já baixado no HD externo, ao invés de pegar o bom e velho cineminha, ao menos por esse dia. Almocei um mexidão de ovo com as opções de rango que eu ainda tinha.  Aproveitei o resto da tarde lendo e trocando idéia com minha irmã em casa.

No fim da tarde mandei mais um lanche pra dentro, antes de sair pra curtir showzinhos legais totalmente grátis na Casa. Lab Infinita. Uma iniciativa cultural super legal de uns coletivos da ilha de Vitória. Coloquei uma garrafinha de água dentro da bolsa pra não ter que matar o DIA DE NÃO COMPRAR NADA nem comprando água, e fui andando pra sequer pagar transporte!

E meu sábado de não comprar nada terminou lindo assim…  aproveitando com os amigos o show de A Banda Mais Bonita da Cidade, que veio de Curitiba fazer pra nós uma “serenata invertida”, cantando lá da varanda da Casa enquanto nós curtíamos da rua. Foi bom demais! Literalmente um BARATO! 😉

Evelyn Araripe é jornalista e educadora ambiental. Foi educomunicadora na Viração Educomunicação entre 2011 e 2014. Atualmente vive na Alemanha, onde é bolsista do programa German Chancellor Fellowship for tomorrow’s leaders e administra o blog Ela é Quente, que conta as histórias de vida de mulheres que estão ajudando a combater os efeitos das Mudanças Climáticas ao redor do mundo.

Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *