Marina Silva fala sobre diálogos intergeracionais no último dia da Youth Blast

Texto: Bruno Ferreira (SP) | Imagem: Arquivo Fora do Eixo

A primeira atividade do último dia da Youth Blast – Conferência Internacional de Jovens para a Rio+20 contou com a presença da ambientalista e ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva, que abordou a necessidade de estabelecer um diálogo intergeracional entre jovens e adultos na busca por soluções sustentáveis para o Planeta.

O painel Construindo um movimento justo para a juventude teve a presença de cerca de 50 jovens de diversas nacionalidades participantes da conferência. Marina foi a primeira a falar, seguida por Hanna Thomas, da Aliança para Empregos Verdes, da Inglaterra. A ex-ministra, no início de sua fala, diz que a crise de valores é a responsável pelas demais crises que o mundo enfrenta atualmente.

Ela defende o diálogo intergeracional e destaca o papel da juventude na busca por alternativas à situação global delicada enfrentada por todo o planeta. “Obviamente quem tem que lutar por um futuro são os que têm mais energia para lutar por ele. Entendo como justiça intergeracional algo que pode ser feito com os jovens e não apenas para os jovens. Estamos fazendo algo para deixar para os jovens e é justo que eles façam algo para deixar para si mesmos”, afirma.

Apesar alegar não ser pessimista nem otimista quanto à Rio+20, Marina Silva afirma que enxerga uma mudança positiva, que chama de “desvio de valores”. “Há desvios que queremos que prosperem, como a economia limpa, renovável.  A sociedade está se descolando, construindo uma borda, num processo multicêntrico. Isso eu chamo de ativismo autoral, não mais direcionado pelos sindicatos ou governos. É o individuo buscando respostas.”

Para sustentar a defesa da ética e a preservação da vida, Marina cita a socióloga alemã Hannah Arendt e o teólogo e escritor brasileiro Leonardo Boff. Ela termina sua fala enaltecendo a importância da adoção desses valores pela humanidade e em sua conclusão, afirma a necessidade do aprendizado sobre sustentabilidade com povos indígenas.

“Buscando romper os limites que a natureza nos impõe, fizemos um encontro com os limites da própria natureza. E se existem pessoas que conhecem e sabem como lidar com ela são os povos que ainda não perderam a sua rusticidade. Com eles, podemos aprender muito naquilo que chamamos de diálogo de saberes”, encerra.

Jornalista, professor e educomunicador. Responsável pelos conteúdos da Agência Jovem de Notícias e Revista Viração.

Ver +

1 Comentário

  • Tenho falado tb nessa iluse3o da qdutniaade de seguidores.As ageancias de marketing tere3o que aprender a avaliar isso: o potencial de replicae7e3o de cada twitteiro, blogueiro, videoblogueiro e demais internautas.Quando e0s pessoas eu concordo plenamente com vocea, tenho acompanhado todo mundo com que esbarro, mas simplesmente porque estou explorando o ambiente. Je1 comecei a unfollowar os que ne3o acrescentam informae7e3o ou ne3o se3o amigos pessoais.Acredito que logo as regras sociais se definire3o nesses ambientes limedtrofes (entre online e offiline) e veremos um misto de informae7f5es fateis com algumas poucas interfereancias pessoais Estou quase escrevendo um post aqui Mas acho que vale a pena comentar o faltimo pare1grafo.Vejo os microblogs como uma ponte entre os dois mundos reais, o offline e o online.c9 natural avisar aos amigos Vamos fazer um #botecamp no bar tal? o que sf3 e9 fatil para os amigos, no entanto as mesmas pessoas podem dizer coisas de interesse geral.Como resolver esse impasse evitando a enxurrada de informae7e3o infatil? Ainda ne3o sei, mas aposto no costume de usar as tais hashtags que nos permitem, sem ter que acompanhar as pessoas, descobrir se algue9m este1 combinando um #qqcoisa.Cheguei a criar uma conta memecarb para falar exclusivamente de reflexf5es e informae7f5es sobre cibercultura, geste3o e sociedade do conhecimento, mas anda ne3o usei.Ainda he1 de se pensar sobre a pre1tica de tomar emprestados os seguidores de algue9m fazendo promoe7f5es do tipo diga porque vocea gosta do telefone tal e ganhe um carte3o de memf3ria , mas isso e9 assunto para um outro post e eu je1 falei demais!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *