Levante Popular da Juventude

Hoje, dia 26 de março, jovens de todo o Brasil se levantaram contra a tortura e exigiram o esclarecimento e punição dos responsáveis pelas atrocidades cometidas no período da ditadura militar.

Em Porto Alegre, cerca de 100 jovens estiveram às 9h da manhã em frente à casa do Coronel Carlos Alberto Ponzi, ex-chefe do Serviço Nacional de Informações de Porto Alegre e um dos 13 brasileiros acusados pela Justiça Italiana pelo desaparecimento do militante político Lorenzo Ismael Viñas em Uruguaina (RS), no ano de 1980, para exigir justiça.

Os gritos de ordem, cartazes e cantos chamavam a atenção dos vizinhos, que se amontoavam nas janelas para entender o que se passava.

O protesto faz parte de uma ação conjunta organizada pelo Levante Popular da Juventude e acontece, além do Rio Grande do Sul, nos estados do Pará, Ceará, São Paulo, Minas Gerais e Santa Catarina.

O Levante organiza a juventude para fazer ações simultâneas de denúncia de diversos torturadores em várias capitais do país, que continuam impunes. Os manifestantes apóiam a Comissão da Verdade e exigem a apuração e a punição sobre os crimes cometidos.

O caráter das ações, conhecida como “escracho”, baseia-se em ações similares as que acontecem na Argentina e no Chile, em que jovens fazem atos de denuncias e revelações dos torturadores que continuam soltos e sem julgamento sobre suas ações durante a ditadura militar.

Faça parte, posicione-se em defesa da Comissão Nacional da Verdade.

Para saber mais sobre o movimento clique aqui

Com informações de Levante Popular da Juventude.

Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *