Juventude e Educação para a Sustentabilidade: a voz do jovem!

Daniel Sena, colaboração para a Agência Jovem de Notícias, do Rio de Janeiro (RJ)

 

De 12 a 17 de junho, acontece o Encontro de Juventude e Educação para a Sustentabilidade Socioambiental, um dos eventos que complementam a programação da Rio+20. Este encontro, organizado pelo Ministério da Educação (MEC) e UNICEF (Fundo das Nações Unidas para a Infância), reúne representantes da juventude de todo o Brasil, que vieram conversar sobre suas experiências em educação e sustentabilidade.

A abertura do encontro, na noite do dia 12, começou com a exibição do documentário “Amazônia Desconhecida”, que tratou dos impactos que a floresta Amazônica vem sofrendo, os conflitos enfrentados pelo Movimento dos Sem Terra (MST), e com os fazendeiros que derrubam vários hectares de mata nativa para a criação de gado. Por isso o Brasil é o maior exportador de carne do mundo, e a maioria dessa criação de gado fica  na Amazônia e Estados vizinhos.

O filme retrata também como os garimpeiros degradam a floresta, na busca por minério, pois é na Amazônia que fica também grande parte do ferro que o País exporta, além de mostrar como os indígenas Yanomani têm sido impactados com a chegada do “homem branco” que destrói a natureza, e como eles têm lutado para manter sua cultura e seus costumes.

Após o documentário, foi iniciado um debate, que teve a mesa composta pela jornalista Renata Ceribelli, por representantes do Ministério da Educação, e do diretor do longa-metragem, Eduardo Rajabally. O formato inicial do debate permitiu pouca interação do público, que só podiam fazer perguntas por meio de cartões que eram encaminhados até a mesa. Os ocupantes da mesa quase sempre fugiam do tema que eram questionados, até que houve a intervenção de Mariana Santana, uma jovem militante baiana, que atualmente mora no Rio de Janeiro. Ela questionou que o debate deveria ser aberto para os participantes, e que os jovens não queriam só ouvir, e sim, argumentar e opinar.

“ Temos que nos ater ao real objetivo da educação ambiental, e do que é sustentabilidade, nossos direitos quanto aos nossos representantes não são só na hora do voto, é em todo momento que não se sentirmos contemplado pelos nosso direitos” disse Mariana, emocionada. Alguns jovens disseram que essa intervenção feita pela Mariana, é normal nos encontros jovens, já que na maioria destes debates não se abre mesmo pro debate com o público jovem.

 

Leia também:

Daniel Sena escreve no blog Voz Jovem na Rio+20

 

Ver +

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *