Oficina Jogos Africanos.

Jogos Africanos, uma experiência lúdica e educativa!

Nesta manhã do dia 23 de julho iniciaram-se as programações da SBPC Jovem. Uma das oficinas de grande importância teve como tema “Jogos Africanos” que tinha como objetivo mostrar a sua cultura da África através dos jogos e inserir os mesmos na rotina escolar.

A oficina foi ministrada por estudantes do curso de Educação Física da UFMA (Universidade Federal do Maranhão) que segundo Iaci da CostaJara, uma das palestrante, “tinham como intuito o desdobramento de pesquisa e extensão com o objetivo de ajudar na implantação da lei 10639/03 que inclui a cultura africana através da cultura corporal (jogos, danças, esporte e ginásticas), sendo importante a inserção da cultura africana nas escolas em tempos em que o racismo, infelizmente, ainda é presente”.

Dando ênfase a esse assunto, Rayanne Passos Ribeiro nos contou: “Nossa cultura tem raiz africana, é preciso dar uma valorização a isso. O Brasil é dito como um país que superou o problema do racismo, porém o que ainda acontece é uma discriminação velada. Nossa extensão visa trabalhar com jovens, das séries inicias, para justamente fazê-los entender isso, incorporando neles a valorização do negro e da cultura africana, derrubando assim esse preconceito desde cedo”.

Vários jogos foram apresentados nessa oficina, abrindo portas culturais àqueles que assistiam. Entre esses jogos se encontravam Bezette, Mancala, Sennet e TsoroYematatu, todos para serem realizados em grupo, visando a interação social.

A escola que prestigiou essa oficina foi a Unidade Integrada Alberto Pinheiro. Os alunos iniciaram com uma dinâmica apresentando seus nomes e lendo belos poemas africanos, atividade que serviu para “quebrar-o-gelo”  da galera!

Segundo a professora e gestora Paulicéia Coelho Silva Pinto: “É importante que alunos e sociedade participem das oficinas e tenham a oportunidade de colaborar e crescer, ainda mais alunos de escolas públicas. É interessante que tenham conhecimento da cultura africana e conheçam diversas maneiras de vivência e saberes que é o ponto forte da SBPC”.

Para finalizar, a jovem Juliana Campos, de 14 anos, que era uma dos dezesseis alunos que assistiram à oficina, falou em simples palavras o que achou da apresentação: “Foi divertido, bacana, novos aprendizados e atividades em que todos interagem”.

Texto:  Lais Rocha (MA) e Otavio de Moraes (MA)/ Imagem: Lais Rocha (MA)

Saiba mais sobre a SBPC

Ver +

1 Comentário

  • legaç

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *